bancos

Do Globo 

O Centrão articula, na figura do senador Ciro Nogueira (Progressista/PI), um projeto de lei que propõe arrecadar recursos para combater à covid-19 taxando bancos.

 O texto, levado hoje ao Senado, quer impor um aumento de imposto sobre os bancos, começando agora e com vigor até dois anos após o fim da decretação do estado de calamidade pública.

A medida mira as instituições financeiras que tenham capital social igual ou superior a 1% do PIB (Produto Interno Bruto), ou seja, os maiores bancos do país.

A tarifa que seria elevada é a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL). Pela natureza do imposto, o projeto garantiria que o dinheiro fosse também para os estados, ou seja, que não se concentrasse nas mãos do presidente Jair Bolsonaro.

A medida impediria que a taxação fosse repassada aos correntistas, segundo o senador.

“Aproposta de majoração da CSLL recairá justamente no segmento da economia que possui histórico de recordes de lucro decorrente de atividades financeiras. O Projeto de Lei levou em consideração que o segmento bancário possui abismos entre grandes e pequenos, ou seja, é um setor altamente oligopolizado”, diz o texto.

Comentários do Facebook

Comentários do Site

  1. Roberto
    Responder

    Muito bom. Aliás, acredito que a proposta de reforma tributária deveria incluir uma maneira de tributar as grandes fortunas, as quais muitas são representadas por banqueiros. Falo isso, porque infelizmente as duas propostas em trâmite no Congresso Nacional se resume à unificação de impostos, o que não corrige a desigualdade na cobrança dos mesmos, sendo esses advindos principalmente pela taxação feita sobre o consumo. Além disso, o atual modelo tributário – que pelos 2 textos de reforma apresentados não mudará – contribui também para a desigualdade social, uma vez que “sobra dinheiro” para os ricos investirem e consequentimente aumentarem seu poder aquisitivo; e na contra mão o pouco que o pobre tem é absorvido pelos impostos pagos no consumo que fazem para terem uma vida simples e digna, no mínimo!

  2. observanatal
    Responder

    Duvido que consiga.
    Duvido que consiga e não seja repassado para os clientes.
    Duvido que consiga e alcances as credoras, que continuam matando com seus juros altíssimos.

Deixe um comentário