De olho no turismo pós-pandemia, o Ministério da Cultura da Itália revelou o projeto de reconstrução da arena interna do Coliseu, considerado uma das sete maravilhas do mundo moderno.

Elaborado por uma empresa de engenharia de Milão, o projeto tem como objetivo cobrir o fosso da antiga arena, atualmente exposto, com lâminas de madeira móveis, aproveitando a ventilação natural das passagens subterrâneas que, no auge do Império Romano abrigavam animais selvagens e escravos.

O objetivo é que os visitantes possam admirar o monumento simbólico também do ponto de vista de quem está no centro da arena.

Ao final da obra, também será possível organizar eventos culturais no local, entretanto, as autoridades não pretendem transformar Coliseu em uma casa de espetáculos, sob o risco de comprometer sua estrutura que data do ano 80 d.C.

O monumento de 3 mil metros quadrados será acessível aos visitantes a partir de 2023.

Antes da Covid, cerca 25 mil turistas visitavam diariamente o anfiteatro em forma de elipse, declarado patrimônio da humanidade pela Unesco.

O Coliseu de Roma passará por uma grande reforma interna

O Coliseu de Roma passará por uma grande reforma interna

439c364a-5d6e-404e-8f51-e248465fcb42

Deixe um comentário