bebidas-mais-consumidas

O Decreto da Prefeitura de Natal, permitindo a venda de bebidas alcoólicas em bares e restaurantes nesta sexta-feira animou o cidadão comum e, claro, os empresários do setor tão afetado nos últimos 120 dias de Quarentena.

Animou também os padrinhos da medida, como o vereador Luiz Almir (PDT) que agradeceu desde cedo no seu programa de rádio:

Pode ter voz e violão, teclado e voz até às 11h da noite.

Tá liberado pelo Prefeito Álvaro Dias, que atendeu nosso apelo ia deixar para quarta-feira. E eu pedi por que não logo hoje, que é sexta,  os caras vão poder tomar logo hoje sua cervejinha. 

Agora, não passem das 11 da noite, porque se não fecham o bar de vocês. Não deixem aqueles C* de bebo fiar depois desse horário … 

Você não vai para um restaurante para almoçar. Isso você faz em sua casa com sua esposa. Em restaurante você vai para tomar uma dose, com seus amigos, conversar M… 

O vereador explicou que não tem bar, mas que fez apelo em nome de tantos outros que se viam prejudicados com a proibição e nominou: Bar do Zico, Bar do feijão, Touro Louco, , Sal e Brasa, Tábua de Carne, Camarões..

Comentários do Site

  1. observanatal
    Responder

    Moderação é algo que o natalense não sabe o que é, senão não teria feito festa em Ponta Negra, nem abriria bares clandestinamente quando era proibido, e nem venderia bebida alcoólica fingindo ser outra coisa.

    A razão de não ter bebida alcoólica é não aglomerar, não aumentar o tempo no estabelecimento, não haver descuidos como perder máscara, criar confusão, abraçar e beijar os amigos, espirrar sem nenhuma educação em direção ao cliente da mesa ao lado. Mas, o comitê científico de Natal estava com saudade de ir pra mesa do bar aglomerar, só pode. E o prefeito queria agradar os bares, além de deixar os pinguços felizes, já que desagradou as escolas particulares.

    Gênios da política e da saúde mundial. Um case de sucesso no Universo.

Deixe um comentário