Congresso Nacional divulga nota conjunta sobre demissão de Mandetta

Em mais um fato inusitado, o Congresso Nacional, que é presidido pelo DEM , mesmo partido do ex-Ministro Henrique Mandetta, um nota forte e contundente sobre a demissão. 
           Sem dúvida, um documento que fica para o futuro em tempos de Coronavirus.

One thought on “Congresso Nacional divulga nota conjunta sobre demissão de Mandetta

  • 16 de abril de 2020 em 21:52
    Permalink

    Comentário cômico:
    Ministro Mandetta lutou tanto no enfretamento no combate ao novo coronavírus, mas acabou sendo derrubado por uma caneta. Acredita-se que a Nação Brasileira reconhece o seu trabalho do norte ao sul, porém tem dúvida se Bolsonaro assinou a sua demissão com uma caneta azul. Caneta azul, azul caneta. Qual foi a que demitiu Mandetta foi azul ou preta. (bis).
    Comentário político:
    Com ênfase na máxima de que presidente sem maioria no Congresso não governa, Jair Bolsonaro em campanha e posteriormente em reuniões “cata apoio” junto a partidos políticos, reiteradamente afirmou que vai pôr fim a tradicional política do toma lá, dá cá. Paradoxalmente, num desses eventos no gabinete de transição, situado no Centro Cultural Banco do Brasil – Brasília/DF, ele se reuniu com cerca de vinte parlamentares do DEM.
    Hoje o cenário é esse: Presidente da Câmara Federal: o chileno Rodrigo Felinto Ibarra Epitácio Maia/DEM/RJ, Senado: Davi Samuel Alcolumbre/DEM/AP. Ministérios: Onyx Dornelles Lorenzoni/DEM/RS, participou da equipe de transição e foi nomeado Ministro-Chefe da Casa Civil, mas como estava se destacando na mídia, foi jogado para outra pasta mais recuada, a da Cidadania; Tereza Cristina Corrêa da Costa Dias/DEM/MS, Ministra da Agricultura Pecuária e Abastecimento e Luiz Henrique Mandetta/DEM/MS, Ministro da Saúde, mas diante de reiterados embates com o presidente Bolsonaro, com opiniões antagônicas entre ciência e economia, além do aumento da sua popularidade nessa pasta, em face dos holofotes, são hipóteses da sua demissão nessa quinta feira (16.04/2020) e substituído por Nelson Luiz Sperle Teich, que tem a mesma linha científica de combate ao covid – 19. Agora é somente esperar o caráter e a ética desse cidadão diante da árdua missão de combater a pandemia em curso.
    Portanto, caros colegas leitores, vamos observar a postura do novo ministro e ratificar ou não se essa exoneração foi de cunho técnico ou político e se há relação com a política do toma lá, dá cá. Logo, se for evidente esse último prognóstico, o presidente Jair Messias Bolsonaro ficará politicamente desarmado no Congresso Nacional e suscetível de sofrer impeachment.

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.