th

Roda Viva – Tribuna do Norte – 22/11/20

Um retrato do Marechal Costa e Silva, segundo Presidente do ciclo militar, morto no exercício da presidência da República, há 51 anos, que existe no Gabinete da Reitora da Universidade Federal Rural do Semi-Árido está provocando apaixonado debate na academia mossoroense.

O Conselho Universitário não quer permitir a manutenção do retrato, “por ter sido um ditador” e a Reitora Ludmilla Oliveira insiste em ter a foto do “criador da UFRESA” na parece do seu Gabinete.

Quando o Ministério da Educação votou contra a criação da ESAM (Escola Superior de Agricultura de Mossoró), num inusitado ato de rebeldia alegando argumentos técnicos, Costa e Silva usou seus poderes ditatórias e transferiu a Escola de Agronomia para o INDA (Instituto Nacional de Desenvolvimento Agrário).

Era Presidente do INDA, o mossoroense Dix-huit Rosado, que instalou a Escola Superior, semente da UFERSA, cumprindo as ordens presidenciais.

Vingt-un, convocado pelo irmão, foi o executor da maior obra cultural de Mossoró.

Mais de 50 anos depois, está aberta a discussão acadêmica sob a visão mossoroense:

– Se Costa e Silva foi ou não,  um ditador do bem.

Deixe um comentário