gobles

O secretário especial da Cultura vai ser exonerado.

Segundo uma fonte hierarquicamente superior a Roberto Alvim, as falas copiando trechos das declarações de Joseph Goebbels foram consideradas absurdas até no governo.

A informação é de que, hoje de manhã, em análise dos fatos com assessores diretos, o presidente Jair Bolsonaro teria se decidido a afastar o secretário.

Os presidentes do Senado Davi Alcolumbre e da Câmara Rodrigo Maria também foram favoráveis ao afastamento de Alvim e já foram avisados que será.

O secretário especial da Cultura do governo do presidente Jair Bolsonaro, Roberto Alvim, sabia que estava citando trechos ditos por Joseph Goebbels, ministro da Propaganda Nazista de Adolf Hitler, garantiram ao blog assessores da pasta.

As frases semelhantes às ditas por Goebbels foram utilizadas por Alvim em vídeo divulgado nesta quinta-feira (16) para a divulgação do Prêmio Nacional das Artes.

Assim como Goebbels havia afirmado em meados do século XX que a “arte alemã da próxima década será heroica” e “imperativa”, Alvim afirmou que a “arte brasileira da próxima década será heroica” e “imperativa”. 

Funcionários da secretaria dizem que acompanharam a produção do pronunciamento e que Alvim sabia das semelhanças com os discursos do ministro nazista.

Até por isso a estética do vídeo era parecida com a propaganda nazista, e não apenas as frases de Goebbels.

Comentários do Site

  1. observanatal
    Responder

    Já foi tarde. Só queria saber se só foi ele, o boi de piranha, ou todos os imbecis que participaram dessa ideia infeliz, que deve ter passado pela comunicação da presidência.

Deixe um comentário