apresentac3a7c3a3o-sem-tc3adtulo-6

Do UOL 

O ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta afirmou que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) levou o povo brasileiro rumo a um “cânion” por meio de sua resposta à pandemia da covid-19 e será duramente criticado por isso por historiadores no futuro, em matéria publicada hoje (15) pelo jornal britânico The Guardian.

A atitude de Bolsonaro diante a pandemia foi classificada por Mandetta como “cambaleante, interessado em si próprio e anticientífica”, de acordo com o jornal. Ortopedista, Mandetta foi o primeiro ministro da Saúde do governo Bolsonaro e saiu da pasta em abril após divergências com o presidente sobre como agir diante da propagação do coronavírus.

Bolsonaro, por exemplo resistia ao isolamento social e fechamento de comércio, medidas recomendadas por Mandetta inicialmente.

Na entrevista ao The Guardian, Mandetta disse que Bolsonaro teve papel crucial ao direcionar o Brasil a uma “catástrofe” e “brincou de política com a vida dos cidadãos em meio a uma crise global”, nas palavras da publicação.

O Brasil contabiliza mais de 106 mil mortos pela covid-19 com 3,2 milhões casos confirmados. Somente os Estados Unidos têm mais mortos em decorrência da doença: 168 mil mortos. De acordo com Mandetta, desde sua saída do ministério, ele e Bolsonaro não se falaram mais.

DO TL 

A entrevista de Mandetta vem depois da repercussão da pesquisa Datafolha que mostra quase 50% dos brasileiros eximindo o presidente Bolsonaro de qualquer responsabilidade em relação às 100 mil mortes causadas por Covid-19.

Do lado de cá, a entrevista ganhou os trends, assuntos mais falados das redes sociais. Vitaminado, claro, pelo exército vitaminado do bolsonarismo.

 

Deixe um comentário