Seria cômico se não fosse tão desnecessário e impertinente.

A já insípida  CPI da Covid da Assembleia Legislativa do RN teve mais uma capítulo nesta quinta-feira, 30,  que poderia não ficar gravado nos anais da Casa.

Algum deputado da Comissão teve a brilhante ideia de convidar deputados bolsonaristas da Paraíba para uma participação especial na CPI de cá. Já que não conseguiram as doze assinaturas em sua Casa, vieram cantar de galo no vizinho .

Mas o que trouxeram de novo? Denúncia , investigações , provas? Nada disso.

Puxando a fila os deputados Walber Virgulino, ex-secretário no Governo Robinson, e Cabo Gilberto. A fina flor do Bolsonarismo paraibano.

O deputado Cabo Gilberto (PSL) mirou seu depoimento em supostos desvios de recursos públicos , nos “absurdos” do Consórcio Nordeste, nos obstáculos postos pelo STF e ministro Alexandre de Moraes ao Presidente Jair Bolsonaro, bla-bla-bla.

Poderia ser uma réplica do 7 de setembro? Positivo. Poderia ser a discussão de uma fila de banco? Com certeza.

Mas algo de concreto fora das narrativas já sabidamente nos grupos de zap das tias? Hoje, não.

O presidente da CPI, deputado Kelps Lima (SDD) chegou a sugerir que a colaboração concreta chegou em farta documentação. Algo em torno de três mil páginas, que servirão para novas investigações. A conferir.

O relator, deputado Francisco do PT – com sua calma e ponderação peculiar – chegou a indagar:

Deputado, o senhor está criticando a forma utilizada de recursos federais pelos governadores. O senhor saberia dizer quantos leitos Covid o RN disponibilizou durante a Pandemia? 

Nãos senhor. Eu só sei na minha Paraíba…

Perdidos em tiroteio.

Participação clara para fotos e fakes.

Como foi a inverídica declaração do mesmo deputado ao dizer que a CPI do Senado foi instalada de ofício, sem assinatura dos Senadores,  por um Ministro do STF.

Ah, uma mentira repetida mil vezes – e não desmentida- fazem verão, inverno e guerras.

E a Covid? Os números de mortes causadas por falta de atendimento médico ou respiradores,  alguém sabe ou viu?

Para ser chamada de “CPI do Circo”, a CPI potiguar ainda precisa se esforçar muito. Falta show de qualidade. E plateia!

Comentários do Site

  1. observanatal
    Responder

    É o bolsonarismo itinerante. Papel ridículo, de todos. Kélps não sabe inquerir, é um fanfarrão no tema; Francisco do PT apenas defende a governadora, não relata nada; Getúlio Rego, tantas vezes equilibrado, fez arminha de água com a língua. Errou feio.
    Os demais ninguém sabe quem são.

    Uma vergonha.

  2. Francisco Ferreira Júnior
    Responder

    Eu não consigo entender que, diante de total abandono administrativo por parte do governo federal, ainda existam figuras folclóricas exportadas para defender um absurdo desse tamanho de incompetência. Esta tal CPI que foi criada no intuito único e exclusivamente político, que é paga com o nosso mísero e suado imposto, ela desbanca vários espetáculos históricos que tiveram recordes de plateia e que levaram o público à loucura. Só que têm um adendo, esse espetáculo é de um circo com panos furados e aberto ao relento, uma empanada de tecido podre e que não pode ver uma chuva que molha todos os espectadores. VERGONHA NACIONAL, DINHEIRO PÚBLICO JOGADO PELO RALO…

Deixe um comentário