A3C4B8FE-969A-4FE5-A83C-5B21995925DD
Mesmo quem jura pelas cinco  chagas não assistir ao
reality show de maior sucesso, na  vigésima edição, não fica livre da sua influência.

Incluídos aqueles que não dão bolas para as manchetes chamativas nas primeiras páginas dos mais acessados sites de notícias.

Também quem não sabe sequer os nomes das futuras celebridades, e apenas comete o pecado do voyeurismo, abrindo uma ou outra foto de uma gostosona de pouca roupa.

Todos tiveram o inédito contato  com a nova palavra da moda, incorporada ao universo e vocabulário femininos.

Pode relaxar. Fique frio(a).

Não é empoderamento.

A jovem cantora, em busca da fama, passou a trazer para os papos, antes voltado às armações, tramas, futricas e futilidades, assuntos  de interesse das mulheres modernosas.

Em recente discussão, em noite de pico de audiência, no fuzilamento de participante, tascou o sonoro fonema.

Sororidade.

Como se dito pela primeira vez no horário nobre, e pela maneira como foi empregado, despertou o dicionarista incubado que existe em  todo telespectador sonolento.

Recorde de consulta aos aplicativos de buscas, tem provocado uma outra discussão.

Fora da telinha.

Exegetas que abundam nas redes sociais, confirmam o emprego adequado do termo mas questionam se o sentimento que representa, realmente existe.

Ou é só outra sacação de Boninho para turbinar o Ibope.

BF73C291-C0BF-4EE9-9785-AD74DF5906DFOs mais incréus chegam ao ponto de atribuir a origem da palavra aos hábitos (vestuários que apertam tudo e mostram quase nada) das santas irmãzinhas.

E às suas orelhas, nunca vistas.

A solidariedade masculina é fato notório. Incontestável.

Principal responsável pela longevidade dos matrimônios, não há registro de uma só delação premiada no gênero.

Fator de manutenção de tantos empreendimentos voltados ao público masculino, sem ela, quantos bares, casas de jogos, cafés e randevus já não estariam em regime de recuperação fiscal?

Como nas gerações passadas, a inexistência de comportamento semelhante pelo então chamado sexo oposto, era aceita como dogma, surgiu a hipótese que por trás das muralhas dos conventos, no silêncio das clausuras, um resquício dele havia sido preservado.

A negação da rivalidade entre elas  e o reconhecimento pacífico da união das mulheres só prospera em ambientes como o monastério. E o BBB.

Lugares onde circulam livremente, a sinceridade e as notas de três reais.

Deixe um comentário