img_7099

Deu no Congresso em Foco

Aliado do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o deputado General Girão (PSL-RN) contraiu coronavírus e passou o final de semana internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital Santa Lúcia, em Brasília. Para ele, o covid-19 não pode ser classificado como uma “gripezinha”, como defende o presidente. “Nenhum vírus pode ser considerado uma coisinha de nada. Não é por aí. Acredito que o presidente quando se expressou dizendo que é atleta, que tem resistência a isso… Pô, eu também era atleta e contrai problemas cardíacos justamente pelo tanto de esforço que fiz no decorrer da vida. Agora peguei o vírus”, desabafou.

O deputado acusou positivo para o vírus no último dia 19 e passou, desde então, a cumprir isolamento. “Eu tive um sintoma de febre que não passou por três horas, fui para o hospital e fiquei hospitalizado em um quarto de UTI. Eles transformaram algumas áreas para serem utilizadas como áreas de isolamento”, contou.

Girão concorda com o chefe do Executivo quanto a não colocar todo o país em quarentena. “Outros vírus atacaram o mundo recentemente e não tiveram esse tratamento que o coronavírus está tendo”, afirmou ao comparar com o H1N1. Porém, a H1N1, também conhecida como Influenza A, em 16 meses matou 18.449 pessoas em todo mundo. Já o coronavírus, em apenas três meses já ultrapassou esse número, chegando nesta quarta-feira (25) a 18.589 mortes.

O deputado defendeu que os governos estaduais escutem as críticas de Bolsonaro quanto aos supostos exageros que estariam cometendo. “A gente vai esperar o outro [vírus] chegar sem uma autocrítica, sem fazer uma avaliação?”, questiona.

Para o general, o presidente Bolsonaro demonstrou em seu pronunciamento na noite de ontem (24) o desentendimento que está havendo entre os governadores estaduais e o governo federal. “As palavras do presidente ontem manifestaram desentendimento. Existe uma guerra de comunicação declarada contra ele. Agora estamos aqui dentro de casa presos às televisões que induzem a população a achar que ele está errado a toda hora”, defendeu

Em recuperação domiciliar, o deputado afirma não estar mais com febre e nem ter sentido, em nenhum momento, falta de ar. No ano passado, General Girão foi submetido a uma cirurgia do coração, o que o leva a tomar remédios controlados.

Comentários do Facebook

Comentários do Site

  1. observanatal
    Responder

    O deputado, que não perde uma oportunidade de babar o presidente, pelo menos teve uma rapidez no atendimento, até por ser General e deputado, e se recupera. Fará parte dos números que dão esperança, o de recuperados.
    Guerra de comunicação, alimentada, por muitas vezes criadas pelo próprio presidente, deputado.
    Infelizmente o brasileiro é indisciplinado, não é pró-ativo, é descuidado, e não tem quem cuide. Infelizmente também, as coisas foram colocadas como ou a economia ou a vida. Parece que não é possível ter as duas coisas. E é possível, mas falta não só dinheiro, falta compromisso.

Deixe um comentário