O senador Jean Paul Prates (PT) falou a este Território Livre sobre a tão sonhada duplicação da BR 304.

Respondeu a provocação sobre a união da bancada federal do RN quando o Ministro Tarcísio de Freitas (Infraestrutura) está com a caneta cheia de tinha para destinar a obras de rodovias Brasil afora.

Há esperanças a curto prazo, senador?

Há, sim. E muita. 

JPP tem contato frequente com o Ministro porque integra a Comissão Mista de Orçamento e é relator do Novo marco Legal das Ferrovias Brasileiras.

A sugestão com plausibilidade é dividir a super obra em quatro lotes, priorizando os principais gargalos na saída de Natal e de Mossoró para Assu:

A Reta Tabajara já vai resolver o principal gargalo.

Priorizaríamos as áreas de maior densidade e depois faríamos os miolos. 

O senador do PT disse que o Rio Grande do Norte não tem culpa de “fazer a curva do Brasil“.

É  em razão disso que a BR 304 vem sendo excluída das prioridades do Ministério, sempre dando preferência às obras que fazem a  integração das rodovias  necessárias para interligar as capitais do país.

O assunto foi tratado na Comissão e teve anuência dos Senadores e de técnicos do Ministérios.

Apesar da BR 304 não interligar capitais é essencial para dar continuidade ao caminho para Fortaleza no Ceará.

Só não o faz por uma questão geográfica que o RN não poderia ser prejudicado assim.

JPP disse ainda que destinou emendas exclusiva  para a BR 304 no Plano Plurianual e acredita que este fator pode fazer a diferença na hora de negociar o martelo determinante para obra.

O que falta agora? União da bancada federal do Estado e os dois Ministros do Governo Bolsonaro.

Afinal, por mais  vontade que o senador de oposição possa ter, não parece  suficiente neste momento para impulsionar uma das obras mais importantes e urgentes do Rio Grande do Norte; a chamada Rodovia da Morte.

Comentários do Site

Deixe um comentário