Enquanto por aqui, o vento ameno de veraneio ainda segue embalando a classe política, o super secretário iniciou a semana com o calor das super filas do INSS para resolver.

Agora há pouco, anunciou em rede que 7 mil militares da reserva vão reforçar o atendimento no INSS.

A ideia é que o pacote seja implementado até abril e, com isso, a fila de quase 2 milhões de pedidos seja resolvida até setembro.

O governo também quer restringir a cessão de servidores do INSS a outros órgãos, e instalar uma força-tarefa para a perícia dos 1.514 servidores que estão afastados do instituto.

Mesmo após setembro, segundo o secretário, não há expectativa de que o estoque de processos pendentes seja zerado por completo.

A meta, diz Marinho, é que os casos não fiquem acumulados – ou seja, que o número de novos pedidos seja similar ao número de processos concluídos.

“O estoque não será zerado. Você tem 988 mil pedidos que entram todos os meses, não dá para zerar estoque. O que a gente está dizendo é que pretende que todo mês, até setembro, outubro, a gente tenha aí esse número de requerimentos da mesma quantidade que temos capacidade de processar. É isso que a gente quer”, explicou.

O secretário informou, ainda, que o pacote de ações custará R$ 14,5 milhões por mês.

Com informações e foto da Globo News

Comentários do Facebook

Comentários do Site

  1. observanatal
    Responder

    Não deu pra convocar para a III Guerra Mundial, o negócio é convocar para a guerra social com direitos atrasados, e ainda sai por 174 Milhões/ano. Qual o critério para escolha dos reservistas? Vai já dizer que estão gerando emprego e renda com essas ações.

Deixe um comentário