whatsapp-image-2020-06-22-at-19.18.59-1-

A nota do Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros do Município de Natal (SETURN) é dura e tenta explicar a motivação da greve que surpreendeu o natalense nas primeiras horas da manhã desta sexta-feira.

Com a greve deflagrada na manhã de hoje a direção do SINTRO pune a sociedade ao forçar a inobservância de protocolos sanitários, quando as notícias mais recentes dão conta de uma elevação do número de casos de coronavírus.

Em duas rodadas de negociação mediados pela Vice-Presidente do TRT/RN quarta e quinta-feira, foi assegurado o pagamento do benefício do plano de saúde e solicitada a suspensão da greve até o dia 29 para negociar o valor do vale-alimentação e outros benefícios.

A intransigência do SINTRO em não aceitar a continuidade das negociações revela o cunho político da manifestação, pois qualquer ajuste que fosse realizado somente seria objeto da folha de pagamento de outubro, em 09 de novembro.

Por fim, repudia o ato de terrorismo praticado pela TRANSCOOP NATAL que bloqueia vias públicas com o objetivo de prejudicar ainda mais a população natalense nesse dia de greve. As questões quanto a forma de distribuição das vendas do vale transporte é objeto de aprovação regular de assembleia sindical, de onde teve assento a própria TRANSCOOP que não se opôs a metodologia de rateio. Além disso, o tema encontra-se sub judice por duas ações judiciais movidas pela TRANSCOOP sem que exista ordem vigente de modificação da forma de distribuição das receitas.

As declarações públicas da Presidente da TRANSCOOP NATAL divulgadas nas redes sociais também denunciam o caráter político eleitoreiro da manifestação.

Estamos certos que as autoridades constituídas saberão como agir para combater essas irregularidades

NATAL, 23 de outubro de 2020.

Deixe um comentário