Desde ontem quando o presidente Jair Bolsonaro anunciou em suas redes sociais a troca de comando da Petrobras, substituindo Roberto Castello Branco, homem de mercado e da confiança do Ministro Paulo Guedes, que os liberais e a turma do mercado critica a medida.

Os principais editorias do país falam no populismo da iniciativa. O estado de São Paulo chegou a resumir: “Bolsonaro governa para os caminhoneiros. “

Mas do outro lado da moeda, há uma esperança nos que torcem pela preservação da Petrobras como antes.

Exemplo? O Senador Jean Paul Prartes, do PT:

O novo presidente da Petrobras tem uma carreira e postura de nacionalista.

Esperamos que, logo de início, tome conhecimento da absurda (e apressada) venda das refinarias do N, NE, Sul e MG na bacia das almas. E que aja para suspender imediatamente todos os processos em curso. 

Deixe um comentário