protesto-750x365

O ex-Governador e ex-Senador Geraldo Melo tentou participar da homenagem ao Secretário Especial Rogério Marinho, manhã de sexta-feira, na Assembleia Legislativa do RN. Não conseguiu entrar na Casa do Povo..

Hoje cedo, usou suas redes sociais para protestar contra a passividade dos chefes dos Poderes Executivo e Legislativo. Confiram o protesto do protesto…

MEU PROTESTO VEEMENTE

Fui ontem à Assembleia Legislativa que, como poder do Estado, decidiu homenagear Rogério Marinho e marcou dia e hora para a homenagem. Mas, não pôde cumprir esse programa porque um grupo de pessoas não gosta de Rogério e decidiu proibir a Assembleia Legislativa de funcionar.

O meu protesto dirige-se, em primeiro lugar, à Governadora do Estado, que não teve capacidade de garantir direitos inquestionáveis que estão sob a guarda do Governo Estadual, como instituição, e não da pessoa dela. A Governadora tem OBRIGAÇÃO de garantir direitos. De todos. Não pode usar a policia para garantir somente os direitos das minorias que sejam do seu agrado.

Aliás, é bom insistir: democracia protege e dá garantias às minorias para que se manifestem DENTRO DA LEI. Mas a democracia também tem o principal dever de OBEDECER à maioria. Democracia é governo da maioria.

Devo dirigir-me também ao meu amigo, presidente do meu partido no Estado e Presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ezequiel Ferreira de Souza. Sejam quais forem os motivos, a verdade é que ele não conseguiu garantir o funcionamento do Poder que preside: havia uma sessão solene marcada para as 10:30 horas. A Assembleia não cumpriu essa programação. Nesse horário não conseguiu nem ao menos abrir as suas portas. Porque as forças da baderna foram maiores do que a sua força.

Conheço a habilidade política de Ezequiel. Mas, habilidade tem limites. E ele sabe disso muito bem. O que aconteceu não permite ao Presidente da Assembleia agora agir como se nada tivesse acontecido.

Não se pode fazer o que aquela turma fez em nome da democracia.

Aquilo não foi um protesto dentro da lei. A lei não dá a quem quer protestar o direito de atropelar, ameaçar a quem não quer protestar. Aquilo foi baderna, que a Polícia tinha o dever de coibir. Liberando todos os acessos à sede de um Poder do Estado, e garantindo a integridade de quem fosse entrar lá. Isso a polícia não fez.

Direito de protestar, de não gostar de Rogério, de desaprovar a decisão da Assembleia, aquele grupo tem, mesmo sendo um grupo minoritário.

Mas, direito de impedir o funcionamento de um Poder do Estado, de barrar a entrada de cidadãos, de deputados e convidados em um prédio público, ESSE DIREITO AQUELE GRUPO NÃO TEM.

Comentários do Facebook

Comentários do Site

  1. observanatal
    Responder

    Para quem passava por alí, verdadeiro inferno de gritaria e bobagens ditas. Atrapalhou trânsito, trabalho, compras, para dizer que conhecem o nome de Rogério Marinho, com verdades e inverdades vociferadas, com mil discursos sem fim. Quem queria entrar não só não conseguiu como também acabava ofendido pelos donos da verdade e do Universo.
    Impossível entender essa democracia do “só eu posso”. Geraldo Melo cheio de razão. A polícia é para bandido, e para manter a ordem, não é para deixar quebrar bem publico, e permitir que as pessoas sejam ameaçadas.

Deixe um comentário