O estilista italiano Giorgio Armani publicou uma carta aberta na publicação Women’s Wear Daily criticando o ritmo das marcas fast-fashion.

No texto, ele explica que vê a pandemia do Coronavírus como uma oportunidade para a indústria da moda se reinventar e abandonar as práticas típicas das lojas de departamento, que segundo o estilista criaram um “ciclo de entrega sem fim, com o objetivo de vender mais“.

Não trabalho assim, e acho que é imoral. Sempre acreditei na ideia da elegância atemporal, que não somente é um código estético preciso, mas também uma abordagem ao design e fabricação das peças que sugere uma forma de comprá-las: para fazê-las durarem“.

O designer acrescenta: “Para o comércio, este vai ser um teste de estresse importante. Quero enviar meu sincero inventivo às operadoras de moda nos Estados Unidos, pelas semanas difíceis que estão por vir. Unidos, passaremos por isso. Mas precisamos estar unidos e operar em uníssono: essa talvez seja a lição mais importante que podemos aprender nesta crise“.

Visão sensível do estilista, correta, que chama a atenção pro consumo desenfreado, sem noção, comprar por comprar e depois descartar, sem sentido e sem a construção de um estilo pessoal, apenas atendendo à apelos consumistas.

Pelo visto, realmente, o mundo, leia-se as pessoas e as empresas não serão mais as mesmas, e velhos paradigmas terão que serem repensados em prol de um futuro melhor.

Parabéns pela sensatez de Giorgio Armani!

E viva a elegância atemporal!!

O sábio e elegante Giorgio Armani

O sábio e elegante Giorgio Armani

439c364a-5d6e-404e-8f51-e248465fcb42

Comentários do Facebook

Deixe um comentário