Golpe costurado ou narrativa para escapar da CPI?

Por Miriam Leitão 

Foi uma semana cheia de ameaças institucionais como essa da entrevista ao “O Globo”, do comandante da Aeronáutica, Carlos Alberto Baptista Junior, que repete e reforça as ameaças feitas na nota dos comandantes militares.

Tem um tom inequívoco golpista e faz uma defesa bolsonarista do governo.

As Forças Armadas são instituições de Estado, não podem entrar em discussão política.

A entrevista completa o trabalho de intimidação feita pela nota das Forças Armadas e do ministro da Defesa.

Uma nota desproporcional à fala do senador Omar Aziz. E confunde o papel institucional das Forças, afirmando que elas são garantia de liberdade e democracia.

E quem dá esta garantia é a Constituição à qual os militares estão submetidos, como os civis. É uma visão distorcida do que são as Forças Armadas.

Para completar a semana de ameaças, o presidente Bolsonaro como de costume fez seus ataques.

Desta vez mirou no presidente do TSE, Luiz Roberto Barroso, chamando-o de “imbecil“.

Em outro momento ele disse que ou vão ter eleições limpas ou não terão eleições. Isso sim é um ataque à democracia. Faz parte do projeto Bolsonaro ameaçar e intimidar e as Forças Armadas tem ajudado com a omissão ou com o barulho dessa semana.

DO TL 

Diante de tanta apreensão e expectativa a pergunta que não quer calar é: o que farão os presidentes da Câmara e do Senado Federal?

O deputado Arthur Lira (PP) segue calado, aliado e representante do Centrão, tem dito que a hora é de colocar “água na fervura”.

Já o senador Rodrigo Pacheco (DEM) divulgou há pouco que vai falar; dará entrevista logo mais às 16h30.

6 thoughts on “Golpe costurado ou narrativa para escapar da CPI?

  • 9 de julho de 2021 em 17:04
    Permalink

    Plano A é Plano B.

    O Lira é capacho. Conseguiu ser mais capacho que o Pacheco, que funcionou na pressão e deve ter entendido que, nessa brincadeira, ele pode tomar prejuízo.

    Resposta
  • 9 de julho de 2021 em 18:14
    Permalink

    As forças armadas tem que esta do lado do povo e agir com segurança contra todos os corruptos, incluindo tambem os que defendem corruptos.

    Resposta
    • 10 de julho de 2021 em 07:11
      Permalink

      Não foi dado esse papel às Forças Armadas na Constituição.

      Resposta
  • 9 de julho de 2021 em 21:58
    Permalink

    Parabéns aos militares. Já deveria ter fechado esses cabarés chamado de STF e congresso.

    Resposta
    • 10 de julho de 2021 em 13:09
      Permalink

      Você tem político de estimação. Kkkkkkkkkkkkkkkkkk O novo Brasil é uma desgraça.

      Tem militar fazendo vergonha ao papel constitucional. Tem militar que está envergonhando a farda. Tem militar envolvido em corrupção! (mas isso também não é de hoje)

      Kiev, feche o STF, o Congresso e se tranque junto.

      Resposta
  • 10 de julho de 2021 em 07:44
    Permalink

    Eles não tem apoio popular e nem internacional para dá golpe militar dando poderes de imperador a Bolsonaro.
    Na verdade são hipócritas associados a tática que objetiva se livrar do impeachment.
    As ameaças sobre eleição, contra STF, contra congresso etc, são desespero do presidente que já tá consciente que será flagarosamente derrotado em 2022. Inclusive, é possível que fique fora do segundo turno.

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.