2020101513104_85827404526bdf417bb313cde827dc5f2d88b2970932885fa99183d9b12116dc

Era bom demais pra ser verdade. Uma sensatez difícil de se encontrar nas decisões do Presidente Jair Bolsonaro quando envolve sua própria sobrevivência … política.

Ele afirmou nesta quarta-feira que a vacina contra o novo coronavírus produzida na China “não será comprada” pelo governo brasileiro.

A mensagem foi publicada em uma rede social, em resposta a um comentário crítico ao anúncio do Ministério da Saúde de que tem a intenção de adquirir 46 milhões de doses da Coronavac.

O seu próprio Ministério da Saúde anunciou a compra na tarde de terça-feira.

“Presidente, a China é uma ditadura, não compre essa vacina, por favor. Eu só tenho 17 anos e quero ter um futuro, mas sem interferência da Ditadura chinesa”, comentou o usuário, ao que o presidente respondeu:

NÃO SERÁ COMPRADA”, em caixa alta.

“Bem como meu governo não mantém diálogo com João Doria sobre covid-19.”

No protocolo de intenções assinado ontem a autorização para aquisição de  46 milhões de doses da Coronavac, vacina que está sendo produzida pelo Instituto Butantan e pelo laboratório chinês Sinovac.

O acordo foi fechado durante reunião do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, com governadores. A compra só será realizada após a vacina receber um registro da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A outro usuário que disse que Pazuello os traiu ao comprar a vacina chinesa e disse que o presidente “se enganou mais uma vez”, Bolsonaro afirmou que “qualquer coisa publicada, sem qualquer comprovação, vira TRAIÇÃO”.

Comentários do Site

  1. observanatal
    Responder

    Bolsonaro é um ególatra de primeira, ele toma as decisões como se a república fosse eles e seus puxa-sacos. Brinca com a vida das pessoas.

    Esse é um homem doente, e só será lembrando pela história como um erro grave da política nacional.

  2. Otavio Da Rocha
    Responder

    No meu entender isto é motivo para 1 impeachment pois o país está enfrentando 1 pandemia,e trata-se de saúde pública.

Deixe um comentário