img_4983.jpg

Na busca por mais viajantes de negócios e clientes com mais dinheiro no bolso, a Latam decidiu voltar a oferecer uma espécie de “classe executiva” em voos domésticos.

A partir de hoje, quem estiver disposto a pagar uma tarifa mais cara poderá ter direito a mordomias a bordo, com o lanche gourmet e vinho, além de embarque prioritário e o despacho de até três bagagens sem custo em voos a partir de 16 de março.

A estratégia reproduz o modelo de companhias com operações em mercados de concorrência forte, como Estados Unidos e Europa, e deve acirrar a disputa com a rival Gol, segundo analistas.

Chamado de premium economy, o serviço, que até agora era reservado às rotas internacionais da Latam, vai estar disponível em todos os 1.780 voos diários domésticos da aérea — cerca de 800 no Brasil.

Quem comprar esses tíquetes vai ter acesso a lanches como baguete de rosbife com mostarda Dijon, frutas, bebidas (vinhos tintos, cafés e chás estão no menu) e um dos maiores atra- tivos: distância maior entre as fileiras. Para se ter uma ideia, no Airbus 321, na classe eco- nômica, 71,12 centímetros se- param as cadeiras. Na nova classe, são 86,36 centímetros.

As tarifas na premium economy serão competitivas. Há trechos em que a tarifa da premium será apenas R$ 90 mais.

Em 2018, a Gol liderou a venda de passagens aéreas corporativas, com 33% dos bilhetes comprados por em- presas no Brasil, diz a Abracorp, associação do setor. A Latam teve 27,3% e a Azul, 26,4%. No dado parcial mais recente, do terceiro trimestre de 2019, a participação de mercado da La- tam, de 30%, estava atrás da Azul (31%) e da Gol (37%).

Na comparação de todos os viajantes, incluindo os de lazer, a diferença diminui. Segundo a Anac, agência reguladora do setor, de janeiro a novembro de 2019, a Gol levou 36% dos passageiros em voos domésticos no Brasil; a Latam, 33% e a Azul, 27%.

Do Globo

Comentários do Facebook

Comentários do Site

  1. observanatal
    Responder

    A pessoa pagar BEM mais caro para ter um “lanche gourmet”, e três bagagens que, loucamente, pagará para transportar em outra empresa aérea geralmente no caso de uma viagem mais longa, é coisa de gente besta.
    Econômica melhorada e olhe lá.

Deixe um comentário