Michel Temer recebeu na segunda-feira o telefonema de um dos mais importantes ministros militares do governo Bolsonaro.

O pedido era para que interviesse junto a Bolsonaro e tentasse abrandá-lo, apresentando ao presidente os riscos por trás de partir para cima do STF como prometera e incitar seu círculo mais íntimo a se preparar para um “contragolpe”.

Temer topou entrar em campo, mas disse que não se sentia confortável em telefonar diretamente para o presidente, sem que o próprio pedisse seus conselhos.

Ligou então para Ciro Nogueira, fez esta análise e se colocou de prontidão para ajudar, caso Bolsonaro quisesse.

Ciro transmitiu ao presidente o recado. No mesmo dia, à coluna, disse Temer, ao comentar a mensagem golpista que Jair Bolsonaro enviou no sábado (14/8) pregando um “necessário e provável contragolpe”

“Nem golpe nem contragolpe. O país precisa de paz”.

Comentários do Site

Deixe um comentário