8837D229-EF7D-4DE4-A525-C72C3209106BNão se justifica tanto espanto com os sofríveis resultados dos nossos estudantes no Pisa 2019.

A não ser dos devotos de Santa Edwiges, esperançosos de sua intercessão para nivelar nosso sistema educacional aos da Finlândia, China ou Cingapura.

A cada três anos, a OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) avalia jovens que tenham completado 15 anos de idade e os comparam com colegas de 80 países no Programa Internacional de Avaliação dos Estudantes

Muito além dos testes dos conhecimentos em matemática, ciências e leitura, é feita avaliação dos fatores dentro e fora da escola que influenciam na aprendizagem.

A pouca participação e a total ignorância das famílias do que ocorre nas escolas é constatada pela baixa frequência às reuniões de pais e mestres.

No Brasil,  mais de um terço dos responsáveis recalcitrantes alegam que a falta de segurança é o motivo pelas ausências justificadas. No México, é ainda pior.

A situação não deve melhorar tão cedo. A violência pulou os muros das nossas escolas. Para dentro delas.

O ministro impronunciável e mal-educado, escravo da lei do menor esforço, posando de astuto, manda a fatura para os inimigos vermelhos de sempre.

Essa parada não é federal. Nem mesmo do ensino público.

Estamos todos na mesma sala de aula.

Voando.

O jovem escriba e editor Carlos Fialho, no seu microblog, fez a mais reveladora  avaliação dos resultados da aprendizagem na província potiguar.

146CEF20-EFBA-4343-B541-709EE3832FB8
Se os alunos não vão bem, imaginem seus professores.

Eles já não têm o mesmo prestígio mas exercem uma profissão, sem glamour, que ainda é mais procurada do que se pensa e divulga.

De todos  os universitários brasileiros, os de Pedagogia só perdem, em número, para os de Direito e Administração.

Há mais de mil cursos em todo o país. 80% no setor privado.

Nas faculdades públicas, o funil ainda é de boca estreita. Somente um em cada doze candidatos consegue vaga.

São maioria na educação a distância e nas escolas particulares, sem exames seletivos de admissão, são encontradas mensalidades tão acessíveis quanto 180 reais. E não se fala no FIES.

Com insumos abundantes e  linha de produção a toda capacidade, o resultado final tem baixo custo.

E depois, o salário, oh!

Não se transfira toda responsabilidade para a outra vítima desta tragédia sem fim.

Educação se faz com respeito.

 Não  pisem nas flores.

Comentários do Facebook

Comentários do Site

  1. Geraldo Batista de Araújo
    Responder

    Cada dia melhor. Notas curtas e certeiras. Quem não aprecia é por inveja. Inté logo mais no Bosque.

Deixe um comentário