Anotem esse nome: Erika Verzutti. Ela pode vir a ser o grande futuro de destaque na escultura brasileira.

Não a toa, chamou a atenção dos diretores e curadores do MASP.

Assim, o museu abre no próximo dia 02 de julho a exposição “Erika Verzutti: a indisciplina da escultura”, com curadoria de Adriano Pedrosa, diretor artístico do MASP, e André Mesquita, curador.

E exposição vai reunir 79 trabalhos, entre esculturas e relevos de parede, produzidos pela artista plástica entre 2003 e 2021.

Suas esculturas criam associações entre elementos reais e objetos cultuados como símbolos ancestrais e de valor ritualístico, flertando com a arqueologia, a monumentalidade das esculturas e as formas orgânicas da natureza e dos corpos. E, para produzir produzi-las, a artista utiliza materiais diversos como papel machê, bronze, plástico, gesso, cimento e isopor.

Aos 50 anos, essa será a primeira mostra de Erika, que é paulistana, em um museu brasileiro.

Erika Ver

Erika Verzutti e algumas das suas esculturas que estarão expostas no MASP

439c364a-5d6e-404e-8f51-e248465fcb42

Deixe um comentário