O OUTRO LADO DA TERRA PLANA

 

301943FB-9A6C-4235-AF9E-5D9FF51DF463

O respeitável professor de Direito Judiciário Penal, intelectual, dono de invejada biblioteca, enveredou no mundo da política, foi deputado, mas ficou mais conhecido como astrônomo amador.

Desenvolveu a tese que haveria uma outra lua, nunca vista, por estar em órbita por trás da mais próxima e maior.

Suas explicações publicadas repetidas vezes, quando começou a corrida espacial, esperava-se que os astronautas americanos pudessem esclarecer a dúvida já enraizada nas áridas terras potiguares.

Quando em 1968,  a Apollo 8 atingiu a órbita do satélite e o circundou, parecia que o assunto tivesse ido para o espaço. Não foi bem o que aconteceu.

Por um pequeno esquecimento dos colegas astrofísicos da NASA, tão entretidos em fotografar o lado oculto do romântico astro celeste, não lembraram de olhar para o outro lado.

No país dos papagaios, terra de samba e rock ‘n’ roll, a mistura da astronomia com política já não inflamava as discussões, como se os defensores da teoria terraplanista tivessem ido  gravitar no universo dos medicamentos usados sem comprovação científica.

Apesar das explicações da jovem infectologista e musa da CPI,  continua a apaixonada discussão, de que borda da terra plana, as boiadas  vão pular.

Agora, a internação do presidente da república, além das inevitáveis piadas escatológicas veio demonstrar que a terra não é somente plana.

Ela também tem um outro lado.

E não são poucos os habitantes da face escondida  do planeta chato.

Eles acreditam na astúcia de que sempre rebaixaram o QI, julgado despreparado para o mais alto cargo, referido como debilóide e apelidado de palhaço de programa de TV.

Os que circulam pelo lado B da lógica, creem que a facada definiu a última eleição e foi meticulosamente planejada, em cálculos milimétricos para que nenhum órgão vital fosse atingido, penetrada o suficiente para afastar a dissimulada vítima,  dos debates pré-eleitorais.

O executante, um doido adestrado para iludir juntas psiquiátricas e manter o mistério sobre os motivos da agressão, pelos vínculos anteriores de agente infiltrado entre os mais radicais adversários.

As complicações e agravos à saúde que se sucedem, coincidem com momentos de baixa nos índices de popularidade e são contadas em número de procedimentos cirúrgicos que somam até uma reversão de vasectomia.

Os cidadãos das terras planas das esquerdas, mantêm a convicção baseada nas evidências  do ferimento pérfuro-cortante não ter deixado marcas de sangue nas roupas nem no calçadão da Halfeld e na crença  que uma cirurgia para  câncer pudesse ter começado na balbúrdia de uma passeata, passado pela Santa Casa de Juiz de Fora para terminar no Einstein.

Já se cogita até na abertura de uma nova comissão de inquérito  para esclarecer assunto muito mais eletrizante que o monótono desfile de trambiqueiros, picaretas, surdos-mudos e mitômanos.

Seria provado que a obstrução intestinal que teve início  com soluços, nada tem a ver com o episódio da tramontina.

Que o que prende o que suja intimação de senador, é passear de moto, sem máscara e sem ter sido vacinado.

Cada um na sua lua.

89BEDA1B-8B70-4EDE-BEB5-E872015CEA17

Domicio Arruda

Aprendiz de Cronista

2 thoughts on “O OUTRO LADO DA TERRA PLANA

  • 20 de julho de 2021 em 10:13
    Permalink

    Comentário de quem não tem o que fazer, esquisofrênico e medíocre. De quem não tem o que fazer mesmo, sem pé e sem cabeça. 🥵🥵🥵

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.