Rock-In-Rio-ABRE

“O rock ativa as drogas, que ativa o sexo, que ativa a indústria do aborto”.

A fala do novo presidente da Funarte (Fundação Nacional de Artes), Dante Mantovani, um maestro de Londrina que foi nomeado nesta segunda-feira 02 ao cargo por Jair Bolsonaro tem rendido críticas no mundo artístico e fora dele.

Até bolsonaristas menos radicais reconhecem..

A análise está em um vídeo publicado no canal do Youtube de Mantovani que traz, além da associação em escala feita pelo novo presidente, outros pontos de uma indústria cultural que busca destruir a moral.

No vídeo, Mantovani comenta longamente sobre a Escola de Frankfurt e a relação dos filósofos com a cultura, em especial, a música.

Para isso, exemplifica usando a banda inglesa The Beatles.

“Eles precisavam destruir as famílias americanas porque elas eram a sustentação do capitalismo”, diz, relacionando os quatro britânicos a um plano da União Soviética de dominação global.

Hoje, o colunista Ancelmo Góis ironizou, lembrando o filho admirador do Rock in Rio:

Será que o Gabinete de Segurança Institucio- nal sabe disso? Flávio Bolsonaro foi visto na última edição do Rock in Rio.

Comentários do Facebook

Comentários do Site

  1. observanatal
    Responder

    A cada nomeação, uma nova aberração e sem distinção de formação. Uma gente ultrapassada nos conceitos, que guarda uma espécie de ranço sobre certos assuntos e faz desses assuntos seus alvos. Trolladores da vida real.
    Ao maestro, uma dura verdade: Há quem prefira o som de música clássica para fazer sexo, que no final, pode levar ao aborto. Sem contar o uso de drogas. Faltou também ele ler que o muro de Berlim já até fez aniversário de derrubamento.
    Que asnos!

Deixe um comentário