No começo da manhã,  a notícia – que não queremos dar, ouvir, pensar, escrever – chega como uma tragédia a Natal. E é.

O caos que parece atual sempre existiu e está mais perto de TODOS nós do que podemos imaginar. Sim, todos nós temoss exércitos indomáveis dentro de nós. Quem nunca? O outro sou eu, lembremos. Portanto, a dor do outro é nossa. Ou deveria ser.

Uma família querida, admirada, respeitada pelo sucesso empresarial e pela capacidade de fazer amigos, do bem receber, de compartilhar momentos felizes com todos.

Uma presença constante na coluna de Bebeto Torres.

Tão Natal, tão nós,  o nosso melhor, a nossa capital da harmonia, da mesa farta do sorriso largo, da união, do acolhimento. A Natal … humana. Demasiadamente humana.

Hoje, o luto , que nos faz chorar e travar, mas que a FÉ em Deus supremo nos  permite enxergar que é hora de ser Flor. Com toda generosidade, compaixão, empatia, sensibilidade e amor.

D. Lourdes é o sorriso acolhedor que a gente encontra nos elevadores da vida e quer bem no primeiro “Bom Dia“.

Com o pensamento nela, peço, que a fortaleza de Nossa Senhora seja o alivio dessa enorme dor a toda família.

E , sim, muito obrigada por tantos sorrisos e “bom dias” durante os mais de dez anos que fomos … vizinhas.

Deixe um comentário