OBESIDADE E COVID-19

AF403FDD-8470-4E7D-B6F0-002B6E17198AEntre as constantes que têm aparecido dos dados coletados nas estatísticas da pandemia, uma é o papel da obesidade no agravamento dos quadros clínicos.

Em Nova Iorque já é considerada o segundo fator de risco, depois da idade.

Inclui nos grupos de risco, os jovens obesos e alerta para a inadequação dos equipamentos hospitalares para atender obesos.

A obesidade já é considerada o maior fator ‘crônico’ nas hospitalizações da cidade de Nova York.

Juntamente com a idade, foi o maior fator decisivo nas internações, o que pode sugerir o papel das reações hiperinflamatórias que podem ocorrer naqueles com a doença.

No Rio Grande do Norte,, como fator de risco, a obesidade  não tem sido considerada nas análises dos casos fatais.

Domicio Arruda

Aprendiz de Cronista

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.