Passe verde, após a terceira dose terá duração ilimitada: na Itália

252B3B76-58B4-49CF-B739-4FA9A9B4E5F6

Por Monica Guerzoni e Fiorenza Sarzanini para o Corriere della Sera em 26 de janeiro de 2022

A decisão do governo é pela duração ilimitada até que chegue uma possível luz verde para a quarta dose da vacina.  O pedido de positivos em sala de aula não vai passar, até porque os governadores pediram o fechamento das escolas justamente para conter as infecções

O passe verde para quem já tomou a terceira dose terá duração ilimitada.  Isso foi decidido pelo governo até a decisão das agências reguladoras – Ema e Aifa – sobre a administração da quarta dose.

O decreto em vigor prevê que a partir de 1 de fevereiro o passe verde reforçado – emitido para vacinados e recuperados – terá validade de seis meses.  Mas muitas certificações verdes começarão a expirar nas próximas semanas, já que a terceira dose foi autorizada em meados de setembro e, como mencionado, tem duração de seis meses – e, portanto, decidiu-se não mais limitar aqueles que concluíram a ciclo de vacinação até a chegada do sinal verde para a quarta dose da vacina.

Enquanto a batalha no Quirinale (residência oficial do presidente italiano) continua, parece difícil convocar um Conselho de Ministros para mudar as regras de contenção do Covid.

Mas entre o Palazzo Chigi (sede do governo)  e o Ministério da Saúde, as solicitações das Regiões estão sendo trabalhadas e avaliadas.

O pedido de deixar em sala de aula alunos vacinados positivos e assintomáticos parece destinado a ser rejeitado.  O governo enfatiza a contradição daqueles presidentes regionais que queriam manter as escolas fechadas durante todo o mês de janeiro devido aos muitos casos entre crianças e jovens e agora pedem o relaxamento das regras sobre quarentenas, deixando alunos infectados pela Covid em sala de aula.

Turismo

O pedido do presidente Fugatti também está sendo avaliado, pedindo que o passe verde seja reconhecido para turistas estrangeiros que desejam passar férias nos Alpes.

Para regular as entradas de estrangeiros a corredores livres de Covid, bastará uma ordem do ministro da Saúde, Roberto Speranza.

TL COMENTA:

Na Itália, o passaporte sanitário é chamado de verde, e confere autorização para múltiplos usos: viagens entre diferentes regiões do país, táxis, übers e entrada em escolas e estádios esportivos.

E shopping centers.

Domicio Arruda

Aprendiz de Cronista

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.