O presidente Jair Bolsonaro assistiu o discurso gravado que realizou na abertura da Assembleia Geral da ONU ao lado de auxiliares no Palácio do Planalto.

O ministro potiguar Fábio Faria (PSD) entre a plateia , além do lider do Governo no Senado Fernando Bezerra Coelho.

No discurso, que lamentou as mortes por Covid-19,  falou sobre a decisão do STF que responsabilizou os governadores dos Estados pela condução dos efeitos da pandemia no Brasil.

Criticou a imprensa pelo pânico gerado pelo “fique em casa” e chegou a dizer que o Auxilio Emergencial foi de U$ 1000 dólares.

Para críticos do presidente, o discurso não foi apenas “mais dos mesmo”, escorregou na verdade em rede mundial.

O episódio do vazamento de óleo “por navio venezuelano” foi outro momento controverso da fala presidencial.

Abaixo trecho inicial  do discurso:

É uma honra abrir esta assembleia com os representantes de nações soberanas, num momento em que o mundo necessita da verdade para superar seus desafios.

A COVID-19 ganhou o centro de todas as atenções ao longo deste ano e, em primeiro lugar, quero lamentar cada morte ocorrida.

Desde o princípio, alertei, em meu País, que tínhamos dois problemas para resolver: o vírus e o desemprego, e que ambos deveriam ser tratados simultaneamente e com a mesma responsabilidade.

Por decisão judicial, todas as medidas de isolamento e restrições de liberdade foram delegadas a cada um dos 27 governadores das unidades da Federação. Ao Presidente, coube o envio de recursos e meios a todo o País.

Como aconteceu em grande parte do mundo, parcela da imprensa brasileira também politizou o vírus, disseminando o pânico entre a população. Sob o lema “fique em casa” e “a economia a gente vê depois”, quase trouxeram o caos social ao país.

Nosso governo, de forma arrojada, implementou várias medidas econômicas que evitaram o mal maior:

– Concedeu auxílio emergencial em parcelas que somam aproximadamente 1000 dólares para 65 milhões de pessoas, o maior programa de assistência aos mais pobres no Brasil e talvez um dos maiores do mundo;

– Destinou mais de 100 bilhões de dólares para ações de saúde, socorro a pequenas e microempresas, assim como compensou a perda de arrecadação dos estados e municípios;

– Assistiu a mais de 200 mil famílias indígenas com produtos alimentícios e prevenção à COVID;

– Estimulou, ouvindo profissionais de saúde, o tratamento precoce da doença;

– Destinou 400 milhões de dólares para pesquisa, desenvolvimento e produção da vacina de Oxford no Brasil;

 

Comentários do Site

  1. Arinaldo Maia
    Responder

    Quando lembro que grandes deputados como Ney Lopes sempre honrou os mamdatos que lhe foram outorgados e exerceu com maestria o seu mister como homem publico e surge deputados despreparados e sem qq projeto de interesse público e um verdadeiro capacho de Bolsonaro e seu sogro Silvio Santos, é de um prejuizo sem precedente para bancada do RN . Quantos PL esee Fabio Farias propos e foi aprovado? Com todo respeitado esse deputado é uma mera figura decorativa e que custa caro ao contribuinte. Saudades do Ney Lopes e de outros q fizeram pelo nosso Estado. Ahhh votei na nartalia bonavides, mas nao vi uma atuacao boa. Tem q mostrar a que veio. O povo ta atento!

Deixe um comentário