A agressão foi  divulgada por este Território Livre no último 28 de agosto e no mesmo dia repercutiu também no jornal O Globo.

As imagens da jornalista Renata Fernandes Paiva com braços roxos eram chocantes e mereceu destaque num dos mais importantes jornais do Brasil.

A jornalista denunciou agressões sofridas dentro do prédio da Câmara Municipal de Natal.

Segundo sua denúncia, o responsável era o seu chefe, o também jornalista Rodrigues Neto.

Estranhamente boa parte da imprensa local resolveu responsabilizar a vítima antecipadamente e muitas versões divulgadas eram como se a vítima fosse culpada pelo ocorrido.

Torcidas orquestradas por simpatias e antipatias, deixando sua excelência o fato em papel secundário.

img_6872.jpg

Apesar de ser Agosto Lilás – o mês que trata de divulgar mensagens de prevenção à violência contra mulher – o assunto foi praticamente ignorado por vereadores e funcionários da Casa.

Em 01 de setembro o presidente da Câmara,  vereador Paulinho Freire (PDT) designou sem alardes uma Comissão de Procuradores para apurar o ocorrido.

Foram feitas audiências, ouvido acusado e agredida, testemunhas, médicos. Nada divulgado e mantido longe da cobertura da imprensa.

Em 10 de novembro, o relatório de 15 páginas  produzido e assinado por três procuradores Ana Luísa Passeggi, Daniel Levis e Pedro Alcântara Segundo foi concluído.

Além de questões legais sobre a competência adequada para punição – ou não – dos envolvidos, a conclusão sobre o caminho que o processo administrativo deveria ter, a partir dali.

Testemunhas disseram não terem visto qualquer sinal de agressão física, mas de acordo com o relatório,  Renata Paiva sofreu “indubitavelmente lesões físicas registradas no exame de corpo de delito feito pelo instituto médico-legal“.

O relatório também deixou claro que as provas colhidas, incluindo as testemunhais, não deram para apontar a autoria da agressão.

Ou seja, se o responsável teria sido o jornalista Rodrigues Neto.

O relatório também concluiu que houve “agressões verbais recíprocas” e por isso mesmo mereciam ser apurados:

Assim, a existência de lesões físicas sofridas pela  Sra Renata, os documentos, os registros fotográficos colacionados, as imagens juntadas aos autos e demais informações colhidas, bem como o ambiente conflituoso criado naquela oportunidade, são indícios que impedem o arquivamento sumário, sendo prudente, diante da supremacia do interesse público, a abertura de processo administrativo disciplinar. 

E qual a recomendação da Comissão? “abertura de processos administrativos disciplinares em face da servidora Renata e do servidor Rodrigues Neto”.

O que fez o vereador presidente da Câmara,  Paulinho Freire? Mandou arquivar e não acolheu a recomendação da Comissão de Sindicância designada por ele próprio.

O presidente da Câmara de Natal NÃO QUER SABER o que houve no interior do prédio da Câmara Municipal de Natal.

Ele e seus pares vereadores. Ele e seus pares VEREADORAS, aquelas mesmas que gritam e lutam – com toda legitimidade – a dor da mulher. Ela, não. A solidariedade a dor de Renata é seletiva. O roxo de Renata não merece eco, mas arquivamento imediato.

PS: 

O autor desta nota não tem qualquer ligação ou amizade com os colegas envolvidos no lamentável episódio , mas entende que não pode ser ignorado e nem tratado com arquivamento sumário pela imprensa.

Estudei no colégio Marista com o pai de Renata, que não está mais entre nós,  fui colega de Hugo Renato Paiva, e tenho certeza que nenhum pai reage com indiferença a essas imagens. Elas despertam , no mínimo, curiosidade, lamentação, solidariedade.

Comentários do Site

  1. PedroArtur
    Responder

    Paulinho vc eh um canalha de marca maior , tenha vergonha na cara cabra sem moral , vc e esse agressor sao farinha do mesmo saco , os veriadores eleito pelo povo estao mostrando a verdadeira face, um so, nao saiu em defesa da verdade, canalhas tambem, revoltado estou.

  2. observanatal
    Responder

    É vergonhoso quando o discurso não casa com a ação. A Câmara Municipal sempre foi um local de protecionismo aos apadrinhados mais importantes, especialmente da presidência.

    As vereadoras que alí estão, incluindo as do PT, parece que só gritam quando alguém fala. A tal sororidade apenas serve para discurso. Não à toa somos destaque, negativo, na violência contra a mulher. Agora são 16 dias de ativismo, com conversa fiada dessas mesmas vereadoras, que Paulinho Freire enterrou logo no começo.

  3. Paulo
    Responder

    Falta de indícios? Ali estão as marcas, a denúncia e os depoimentos. Não é possível que não queiram investigar. Isso é o mínimo a se fazer. Não se busca justiça dessa forma. Esse é o procedimento típico das ditaduras: sigilo e arquivamento.

  4. Patricia
    Responder

    Vergonhoso é o mínimo a ser citado em relação a um “ presidente da câmara municipal da cidade de Natal” … como não se comprometer em se tratando de uma agressão notoriamente visível, com uma funcionária da casa? Lamentável, pessoas como esse Paulinho Freire deveria estar longe de presidir alguma coisa, mostra incapacidade total ! Lógico que não quer se envolver…. Tudo farinha do mesmo saco. VERGONHOSO!

  5. João Helder
    Responder

    Infelizmente em uma sociedade patriarcal e acostumada a lidar com a impunidade, temos personagens eleitos pelo voto popular que se acham acima de tudo e de todos, desconhecendo que a Constituição assegura o pleno acesso à justiça e a ordem jurídica justa. Ademais, o princípio da legalidade, que assegura a todos agir dentro dos ditames da ordem jurídica justa e da ampla defesa, permite dizer que o Presidente da Câmara agiu com nítido ABUSO DE PODER, devendo responder judicialmente pelo desvio da finalidade do ato administrativo e em virtude do nítido desvio ou abuso de poder. Chega de impunidade. Além de tudo, ainda falta transparência e moralidade ao ato do Senhor Presidente daquela casa, princípios constitucionais a nortearem o agir do agente público.
    O abuso ou desvio de poder, neste caso, é ao meu ver, indiscutível e o presidente deve responder na esfera penal e civil.

  6. Adriana de Alcantara Pacheco
    Responder

    Absurdo! Não podemos deixar acontecer essa violência contra as mulheres! Não podemos nos calar! A sociedade toda deve cobrar justiça!!! Clamo a todos por um abaixo assinado contra essa injustiça! Cadeia pra quem bate em mulher!

    • Elain Steiner
      Responder

      Isso é um absurdo. Cadei pra esse ser humano desprezível, justiça para esta mulher em nome de TODAS (OS) nós.

  7. Augusto
    Responder

    Absurdo o arquivamento e a postura da grande maioria da imprensa aqui do RN.
    A lei enxovalhada e jogada ao lixo ao sabor dos interesses de um tiranete.
    VERGONHA!

  8. Eloina Gomes
    Responder

    Nossa como pode arquivar um processo claro como esse , a Sra Renata Fernandes Paiva, está toda cheia de hematomas, humilhada perante a situação, e esse cidadão com seus poderes, declara arquivados, onde está a consciência e justiça desse caso tão lamentável, onde uma mulher é agredida, e não existe impunidade ao agressor, que Estado , é país vive esse tal Paulinho e presidente da Câmara, é um absurdo arquivar esse processo.

  9. Maria Aparecida da Silva
    Responder

    No minimo tem conchavo e conluio no ato claro de proteção ao agressor!!!! Que vergonha sr Presidente Paulo da costa Freire!!! Vossa excelência é uma VERGONHA para a Câmara Municipal do Natal!!! NUNCA terá meu voto nem da minha familia!!! VERGONHOSO no minimo !!!!

  10. Evandro Guedes Cavalcante
    Responder

    É muito lamentável o ARQUIVAMENTO do processo administrativo investigativo pelo Presidente da Câmara Municipal de Natal, Vereador Paulo Freire (PDT), sem que fosse feito a devida apuração dos fatos, ou seja, uma prática ilegal e antidemocrática.
    Por que razão um Vereador que é eleito pelo povo toma uma decisão insana sem ao menos considerar uma determinação de abertura de processo administrativo disciplinar proposto pela Comissão Investigatoria por ele nomeada?
    ISSO É O QUE CHAMAMOS DE CORPORATIVISMO.
    Por essa razão o Presidente deve ser destituído do cargo e o agressor, Rodrigues Neto ser demitido sumariamente em razão das agressões físicas praticadas contra a sua subordinada, Renata Paiva.
    #forajaos2

  11. Ana Célia
    Responder

    Arquivar para beneficiar o agressor. Está claro o sofrimento da vítima fisicamente pelas fotos, e prováveis sofrimentos emocionais e mentais que deixam sequelas. Sociedade machista, testemunhas com medo do chefe e não abriram a boca (estavam dormindo?) para dizer o que viram e ouviram. Silenciaram. O Presidente da câmara, o agressor e todos os que ficaram silenciosos do lado da violência deveriam no mínimo ter vergonha. Mas em vez disso devem estar comemorando e dançando em cima do sofrimento alheio causado pelos próprios. Quem arquivou o processo se transformou também em agressor. Quantos mais vão atirar pedras? É uma sociedade bruta.

  12. Gizelda
    Responder

    Ola sr Presidente Paulo da costa freire ( Paulinho Freire) guardem bem esse nome! Um nome a ser lembrado como quem fez clara politicagem barata e abuso de poder !!! Esta claro como agua que ele está protejendo o agressor da moça!!!! Só um cego nao vê! Alias’ ate um cego vê! Quero ver voce arquivar o fantástico e o jornal nacional !!!!! Demissao sumaria para o agressor e processo em cima do sr presidente!!!!!! Estou completamente pasmo!!!!! Nunca votarei em voce pra nada!!!!

  13. Ricardo
    Responder

    Cade as vereadoras da ” frente parlamentar da mulher” ????? Todas caladinhas ne não? Bando de hipócritas!!! Ninguem defende a moça??? E esse presidente então??? Canalha! Nao se elege ninca mais se Natal e o RN tiverem verginha na cara! Coisa que esses ai não tem! Vergonha e revolta !!!! Esqueça sua carreira politica sr presidente!

  14. Mauro
    Responder

    Denotação clara de abuso de poder do exelentissimo sr presidente Paulo da costa Freire!!!! Nitidamente protejendo o agressor e abafando o caso!!!!! Que vergonha sr presidente! Moça mete no fantástico pra ver só se esse tal de Rodrigues Neto não cai fora rapidinho!!! Quero ver voce segurar o agressor na CMN !!! Vergonha!!!!!! Vossa excelencia e essas vereadoras OMISSAS envergonham a nossa cidade! E ainda fazem campanhas contra a violência ” lutam” pelas mulheres!!!! Kkkkkk mentirosas!!!!!

  15. Maria Dalva de souza
    Responder

    Conluio ! Proteção do agressor! Casa VERGONHOSA!!!! Que papelão hein sr presidente Paulo da costa Freire! Voce se enterrou politicamente meu caro! Pode ter certeza!!!!

  16. Daniele
    Responder

    E onde está a imprensa???? Onde estão os blogs que execraram a moça? Estão calados por que? E quanto a esse presidente sinceramente me da nojo . Ja tinha que ter colocado o psicopata agressor pra fora! No minimo.

  17. Maria Dalva de souza
    Responder

    Vergonhosa a atitude do sr presidente de uma casa ” dita” em tese do POVO !!!! Me arrependo amargamente de ter votado neste senhor!!!! Nunca mais! Abrigando um agressor de nulher na CMN é inacreditável

  18. Maria Dalva de souza
    Responder

    Que papelão hein sr presidente??? Agindo em conluio ou conchavo com esse psicopata ! No minimo era para o sr exonerar esse monstro! Mas faz justamente o contrario ! Acoberta! Abafa o caso!!!! Nunca votarei em vossa excelência. Sua carreira politica foi enterrada por voce mesmo!!!

  19. Roberta
    Responder

    Imprensa calada, vereadoras caladas e o presidente da ” casa do povo” escondendo o caso e varrendo pra de baixo do tapete!!!! O sr me envergonha !!!! Envergonha as mulheres que passam por isso todo dia!

  20. Roberta
    Responder

    Nunca mais tem meu voto!!!! Sem vergonha!!!! Abrigando na CMN um agressor . Contrariando a decisão da comissão instaurada por ele mesmo!!!!!! Cara de pau! O sr morreu politicamente!!!! Vergonhoso . Abuso de poder! Renata, processa esse também!!!!

  21. DANIELE
    Responder

    Político sendo político! É vergonhoso ver alguém que deveria estar no mínimo imparcial ser tão PARCIAL ASSIM. Mais um caso onde a poeira foi literalmente jogada para baixo do tapete. A impunidade deste país me enoja!

  22. Allyson
    Responder

    Atribuir a culpa à vítima é uma manifestação clara das relações de poder.

    Que vergonha Sr. PAULINHO.
    QUE VERGONHA!!!!!!!!!!!

  23. Renata Barreira
    Responder

    Esse sujeito não merece JAMAIS SER ELEITO NOVAMENTE.
    Absurdo total. Cadê o direito de defesa da vítima? Isso é totalmente inconstitucional.
    Justiça pra esse crime Já!!

  24. Renata Paiva
    Responder

    Nenhuma violência começa com consequências irreversíveis.
    Na violência contra as mulheres, o feminicídio chega depois de enviar muitos sinais de assédio, desrespeito, agressão verbal, agressão física.
    Daí a importância da denúncia ser feita ao primeiro sinal. É o que estanca a escalada crescente do ódio que mata.
    Na violência política, o mesmo fenômeno se repete. Nenhum ditador truculento começa matando cidadãos.
    Os sinais chegam pelas palavras, pelas ideias, pela cultura de extermínio, pela educação homogênea e totalitária, pelo silenciamento do outro, pela falta de respeito à pluralidade, pelo desprezo à liberdade, pela disseminação de mentiras e pela imposição do medo.
    Deixar a violência crescer e conviver com o inaceitável, a pretexto de manter a estabilidade do lar ou das praças, é adubar o solo da violência.
    Para monstros não há muitas alternativas: ou se impede que eles cresçam ou seremos devoramos por eles. Os sinais são óbvios. É preciso ter olhos para enxergar.

  25. Fatima
    Responder

    Um absurdo esse gesto de autoritarismo da presidência , na pessoa do Sr Paulo Freire.
    Essa agressão deve ser apurada no rigor da lei.E q à justiça se cumpra.

  26. José Bezerra Marinho
    Responder

    Estimada Renata,
    Tomei conhecimento dos acontecimentos de agosto passado pelas redes sociais.
    Li a nota de Cassiano Arruda, do último dia 23, no “Território Livre”, site da TN e, lhe confesso, gostaria de ter escrito. As marcas da agressão que você sofreu, constatadas pela sindicância, chocam e espantam.
    Uma autoridade mandou fazer uma apuração de fatos através de uma Comissão de Sindicância. A Comissão conclui “pela existência de indícios que impedem o arquivamento sumário, sendo prudente, diante da supremacia do interesse público, a abertura de processo administrativo disciplinar”.
    O que fez a autoridade? Mandou arquivar o feito! Nenhuma das hipóteses que se pode cogitar para justificar essa decisão, favorece quem a tomou.
    Desconheço os fatos, e apenas nos vimos uma única vez, Renata. Quando você me entrevistou para o documentário que fez sobre Geraldo Melo. A propósito, excelente trabalho. Não conheço o outro envolvido. Tenho, portanto, o necessário distanciamento crítico para me referir apenas ao aspecto formal. E, nesse particular, a incongruência da decisão, revolta, para dizer o mínimo. Força, minha cara Renata.

  27. Claudio
    Responder

    enata amiga
    Te conheço desde os 11 anos de idade e somos sim amigos até hoje. Voce sempre foi uma menina curiosa , interessada em aprender tudo muito rápido . Estudiosa leitora voraz e uma pesquisadora Nata . Fiquei estarrecido , pasmo mesmo quando você me disse o fato lamentável que houve com você. O que esse agressor fez a você, no fundo ele fez a ele mesmo! Descarregou toda a frustação da vida dele, num ato vil e covarde ! Por que? Por que esse arroubo de violência? Por que essa insanidade? Simples . Quem se destaca em qualquer lugar é alvo de inveja, de bullying , de perseguição! Não sou do RN , mas acompanho á história do Estado por sua causa . Esse agressor nada mais é do que um frustado com sua propria vida , você quis preservar através do seu brilhante trabalho á memória de um dos homens mais importantes do RN . E tenho certeza que voce traria de volta á sua memória com maestria , como em tudo que você se propõe á fazer . Perde você? Nâo! Perde o Estado do Rio Grande do Norte. Perde o povo a oportunidade de perpetuar a longevidade fundamentalde Aluizio Alves . Este senhor além da agressão fisica , provada em relatório instaurado pela propria comissão de justiça da CMN , representada lamentavelmente por esse presidente Paulo da Costa Freire foi arquivada para esconder várias verdades . A verdade da justiça, a verdade da omissão , da parcialidade favorável ao agressor Rodrigues Neto , e por fim a verdade do POVO ! Os eleitores que um dia acreditaram nesse presidente e nos demais veteadores e vereadoras omissos que compactuaram com seus silêncios eloquentes . Não fique triste amiga, você não perdeu nada, quem perdeu o seu talento foi essa casa .

  28. Zilton Antunes dos Santos
    Responder

    A não abertura de um processo administrativo disciplinar, pelo presidente da Câmara Municipal de Natal, Paulinho Freire, deixa-nos estarrecidos e descrentes quanto a imparcialidade, competência e responsabilidade do ocupante dessa função tal importante e de relevância para o cumprimento da legislação e dos direitos individuais e da população. A própria Comissão de Sindicância que apurou a agressão sofrida pela jornalista e funcionaria Renata Fernandes Paiva, no recinto da própria instituição, chegou a fazer essa recomendação disciplinar. Esperamos, então, que outras instâncias do poder público retome esse caso, tome as providências cabíveis e necessárias ao cumprimento da legislação e à preservação dos direitos individuais e da sociedade, como um todo.

  29. Sophia Praod
    Responder

    Que absurdo! Exigimos reparação imediata e responsabilização do agressor! A manutenção dessa situação é inadmissível!!

Deixe um comentário