O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG) durante cerimônia de filiação ao PSD (Partido Social Democrático). Pacheco disse que os brasileiros estão cansados de viver em meio às incertezas e intolerância, no Memorial Juscelino Kubitschek, em Brasília. | Sérgio Lima/Poder360 27.out.2021|

O presidente do Senado Rodrigo Pacheco  é aposta do PSD para a corrida presidencial em 2022. Há que diga que uma vice é muito bem-vinda, de um lado ou de outro.

Até lá , o vento determinará para onde a vela se movimenta com mais facilidade.

A cerimônia, que aconteceu ontem sob as bênçãos de Juscelino Kubitschek – pelo menos nos discursos e na fotografia- contou com a participação de parlamentares da sigla e de outras legendas, e lideranças de todo Brasil.

A indicação do chefe do Senado à corrida eleitoral do ano que vem foi feita pelo próprio presidente do PSD, Gilberto Kassab.

Pacheco evitou falar em candidatura, mas adiantou que vai continuar apostando na moderação. Com a nova filiação, o PSD passa a ter 12 senadores, a segunda maior bancada da Casa.

O PSD do Rio Grande do Norte, um dos mais antigos e atuantes desde a fundação da legenda em 2011, não se fez presente.

Em junho deste ano, o ex-governador Robinson Faria chegou a viajar a Brasília a anunciar sua permanência no partido de Kassab.

 Mas hoje com o perfil de oposição a Bolsonaro e o desembarque de Fábio Faria no PP, o futuro partidário de Robinson é uma incógnita. Sua ausência, pelo menos,  aponta para falta de afinação com a cúpula.

Deixe um comentário