O Tribunal Superior do Trabalho decidiu por maioria afastar a abusividade da greve dos Correios, que estão paralisados desde 17 de agosto.

Quatro ministros concordaram com a relatora do processo, ministra Kátia Arruda, de que os trabalhadores foram provocados pela empresa a fazer greve, ante a retirada de praticamente “todos os direitos que construíram ao longo da história”.

De acordo com a ministra, houve “patente conduta negacionista” dos Correios para tentar negociar o conflito, de forma que a greve foi a única solução encontrada pelos trabalhadores.

Ela também apontou que não há qualquer demonstração de prejuízo para o ano seguinte “fora mera alegação da empresa”. Até agora, disse a ministra, “o que temos visto é apenas lucro”.

Ficaram vencidos sobre a abusividade os ministros Ives Gandra da Silva Martins Filho e Dora Maria da Costa.

Não participou do julgamento a presidente do tribunal, ministra Cristina Peduzzi, que foi diagnosticada com Covid-19 na última semana.

O ministro das Comunicações Fábio Faria comentou a decisão do Tribunal em suas redes sociais, destacando a multa por eventual descumprimento;

O Tribunal Superior do Trabalho @TSEjusbr decidiu, por maioria, conceder um reajuste de 2,6% para os funcionários dos Correios. De acordo com a decisão de hoje, os empregados devem voltar ao trabalho amanhã, sob pena de multa de R$ 100 mil por dia.

Comentários do Site

  1. observanatal
    Responder

    Essa greve é uma clara situação em que o Governo Federal jogou a opinião pública contra a empresa, para assim justificar a privatização. Pelo visto será uma privatização que não vai se importar com os funcionários dos Correios.

Deixe um comentário