carteira-e-sala-de-aula-vazia

A expectativa é que hoje seja anunciada a decisão do Governo Fátima Bezerra sobre o Decreto que possibilita retorno às aulas no Estado. O anúncio vem sendo adiado e nem o Comitê Científico expressou sua opinião sobre o tema controverso.

Ex-secretária de Educação  e professora da rede estadual, Claudia Santa Rosa se manifestou sobre o tema em suas redes sociais:

Leio uns professores que a pandemia revelou: a geração “Nem Nem”. Nem ensino remoto e Nem retomada das escolas antes da vacina.Também há uma geração Nem Nem de gestores públicos:Nem põe tecnologia nas mãos dos estudantes e Nem prepara as escolas p/ retornarem um dia. Uma lástima!

É que não decidir nada parece ter sido a opção de não errar, de não ser responsabilizado, de não ser cobrado.

Há quem diga que a liberação das escolas particulares apenas não será uma opção porque é a certeza de aumentar o fosso existente entre as duas realidades.

E é, mas se esquece que não fazer nada, nivelando por baixo não é justo para nenhuma das partes.

Hoje, os alunos da rede particular vem tendo aulas online, enquanto os  da escola pública, nada.

Nesse aspecto, o governador do Maranhão, Flavio Dino tem muito a ensinar a colega do Rio Grande do Norte; em julho distribuiu 90 mil chips com tablets aos alunos de 3º ano, diminuindo assim a desigualdade posta entre os candidatos ao ENEM.

Comentários do Site

  1. Antônio Morais
    Responder

    Cláudia Santa Rosa não tem competência para dar opinião sobre a atual situação. Como gestora pouco fez. Passava mais tempo afagando o ego com lives e alimentando suas redes sociais com fotos do que propondo saídas exequíveis aos problemas da rede estadual. O mais que fez foi viajar para Nova Iorque – fotógrafo pessoal a tira-colo – para verificar como funciona a rede estadual de lá. Como se os EUA fossem referência em educação pública!

Deixe um comentário