A reportagem de Maria Ceci para Tribuna do Norte desta sexta-feira é um alerta para o enorme retrocesso anunciado na nova Política Nacional de Educação Especial instituída pelo Governo Federal.

Significa dizer que tudo que se caminhou para conquistar na inclusão de pessoas com deficiência com outros alunos da rede regular de ensino está em risco. No Rio Grande do Norte são mais de 20 mil.

Segundo o decreto,  a escolha de matricular o filho em escola regular é dos pais, mas segundo os especialistas em educação em legislação da área, trata-se de uma porta aberta para as escolas começarem a recusar receber alunos com deficiência sob a desculpa,  –  “que não estão preparados”.

Muitos desses pais já viram esse filme no início da luta e temem o retrocesso.

TUDO JUNTO E MISTURADO

Ouvida pela TN, a professora Débora Seabra de Moura, 39 foi certeira:

Eu nunca estudei em escolas especiais. Nunca. Estudei sempre em escolas regulares, onde a vida é normal. Escola é pra ser assim: tudo junto e misturado. 

Eu acho que a gente não pode andar pra trás. A gente precisa andar pra frente, porque não somos caranguejos. E escola inclusiva é andar pra frente. 

Deixe um comentário