1C669773-CD7E-4AB1-9215-D4515438CEA6-1024x574

Não restam dúvidas que o Rio Grande do Norte precisa de leitos extras para enfrentar a pandemia do Coronavirus.

O que divide neste momento a opinião pública – e publicada – é como, quanto, onde…

Depois das informações que o Ministério Público questiona o valor dos R$ 37 milhões e o prazo curto no processo licitatório , o secretário de planejamento Aldemir Freire disparou:

O pessoal achou incrível a China construir um hospital em 15 dias. Mas aqui, em uma situação de calamidade e crise iminente, querem q se construa um hospital em 15 dias utilizando as regras normais da lei 8666/93.

Evidente que os questionamentos do MP precisam ser fundamentadas, críveis e acima de tudo equilibradas para o momento de emergência vivida.

Uma comparação mais próxima do que a China pode ser feita.

O Hospital de Campanha no Pacaembu em São Paulo, com 200 leitos, foi entregue na última quarta-feira com custo de R$ 8 milhões. O do RN com 100 leitos custaria quase R$ 4o milhões.

Evidente que a princípio parece haver um desencontro de informações. Lá em São Paulo, a gestão seria feita com toda logística e apoio do Hospital Albert Eisnten. Não sabemos e há custos compartilhados também.

Ontem, a Governadora Fátima Bezerra divulgou nota sobre o assunto, que dizia:

O Governo do Estado reafirma o compromisso de seriedade, honestidade e transparência, marcas desta gestão, e comunica que convidará os órgãos de controle – Ministérios Públicos Estadual e Federal e Tribunal de Contas do Estado – para participarem e acompanharem as ações que visam o atendimento à população em tempos de pandemia.

O que queremos é a união de forças para salvar vidas.

Bingo. Mais do que sempre o RN precisa se unir para vencer a burocracia, o tempo, o vírus e os próprios ruídos da comunicação. De suas instituições, que espera-se, trabalham para o mesmo bem comum.

Comentários do Site

  1. observanatal
    Responder

    Ninguém bota muita fé em Fátima, é esse o problema.
    Estão monitorando desde janeiro e só agora perceberam onde podem colocar o hospital de campanha, quanto deveriam gastar, qual estratégia a fazer. Decisões demoradas atrapalham, tanto quanto as decisões precipitadas. As experiências com coisas desse tipo deixa todos ressabiados. A governadora deveria saber disso, mas prefere agir de forma que pareça ter algo no que é provável que nem tenha. Fatima está perdida no meio dessa pandemia.
    Governadora, foque na solução dos problemas, deixe o resto de lado. Deixe de lado também relocar queimados, deixe de estupidez e monte equipes para resolver os problemas, mas na hora de decidir, esteja apta a decidir com consciência de quem governa um estado sofrido, desprotegido.
    Para constar: A comparação com a China é exdrúxula em todos os sentidos!

  2. observanatal
    Responder

    Para corrigir: a palavra é esdrúxula.

    Nós não devemos aprender com certas figuras das mídias do RN, então temos que buscar escrever, pelo menos, o português oficial.

  3. FRANCISSCO DE ASSIS DA COSTA
    Responder

    estou ouvindo muita conversa da parte dos gestores e da midia e nada se fez ate agora sera que estao esperando o caos para poder agir?

Deixe um comentário