Do Estadão 

Ao pesquisar sobre síndrome de Down no Google, a influencer Vitória Mesquita, 22 anos, fez uma cara de espanto: a trissomia do cromossomo 21 aparecia ao lado de palavras como “distúrbio” e “doença” na ferramenta de buscas.

A jovem, que tem a síndrome e não é doente, registrou sua indignação em um vídeo e publicou nas redes sociais.

Nos dias que se seguiram, sua postagem ganhou força e motivou milhares de pessoas a mobilizarem a campanha #atualizagoogle, hashtag criada para chamar a atenção da gigante de tecnologia sobre o tema. Deu certo.

Agora, definição sobre síndrome de Down no Google passou a ser “condição genética”.

A jovem do Distrito Federal usa a internet para conscientizar seus milhares de seguidores sobre inclusão e discriminação de pessoas com deficiência.

“Eu não tenho doença, minha saúde é muito boa. Faço exercício, yoga, meditação, dança, ando de skate e não me sinto doente.”

A influencer acrescenta que a definição correta da síndrome contribui para que as famílias saibam lidar com o assunto da maneira correta, além de evitar estigmas na sociedade.

“Resolvemos, então, movimentar uma campanha para que o maior site de busca do mundo altere a definição da T21 (síndrome de Down) para o que realmente é: alteração genética no cromossomo 21! #atualizagoogle”, ela escreveu, 

A mobilização gerou resultado. Após ser compartilhado por outros influenciadores, o vídeo chegou ao Google, que corrigiu a definição mostrada na busca.

“Pode parecer pouca coisa, mas a diferença no conceito de deficiência e doença pode impactar e muito na forma como famílias e a sociedade lidam com a trissomia do cromossomo 21”, explica Vitória.

“Deficiência é diferente de doença, e as pessoas precisam aprender isso”, diz.

Deixe um comentário