x70791084_RI-Rio-de-Janeiro-RJ-28-07-2017-LITERATURAPosse-do-escritor-JoAo-Almino-como-membro-imo.jpg.pagespeed.ic.ob2EtNkIVj

Território Livre errou. Murilo não era o único imortal do RN. O mossoroense João Almino também é membro da Academia Brasileira de Letras.

João Almino é Embaixador. Serviu nas Embaixadas do Brasil em Paris, México e Washington. Foi Encarregado de Negócios em Beirute, Ministro-Conselheiro em Londres e Cônsul-Geral em São Francisco, Lisboa, Miami, Chicago e Madri.

Foi Diretor do Instituto Rio-Branco (2001-2004). Medalha de Ouro do Rio Branco (primeiro colocado) no Curso de Preparação à Carreira Diplomática do Instituto Rio Branco, é bacharel em direito pela UERJ, tem mestrado em sociologia pela UnB, doutorado em História Comparada das Civilizações Contemporâneas pela École des Hautes Etudes en Sciences Sociales de Paris (1980) sob a direção do filósofo Claude Lefort e pós-doutorado no Centro de Estudos Avançados da USP.

O ESCRITOR

João Almino nasceu em Mossoró, no Rio Grande do Norte, em 1950. Ensinou na Fundação Universidade de Brasília (UnB), na Universidade Nacional Autônoma do México (UNAM), no Instituto Rio Branco e nas universidades de Berkeley, Stanford e Chicago.

O escritor e diplomata João Almino ampliou sua Trilogia de Brasília, composta pelos romances Idéias para onde passar o fim do mundo, indicado ao Prêmio Jabuti e ganhador de prêmio do Instituto Nacional do Livro e do Prêmio Candango de Literatura, Samba-enredo e As cinco estações do amor, vencedor do prêmio Casa de las Américas em 2003.

Deixe um comentário