65C5ED29-3300-44FB-BF2F-1DFA7458C461

Borat Sagdiyev, o segundo jornalista mais famoso do Cazaquistão, está de volta.

14 anos depois,  o personagem interpretado pelo humorista inglês Sachs Baron Cohen ataca novamente.  E promete mais uma vez arrebentar a bilheteria. Agora na Amazon streaming, enquanto as salas de cinema não são reabertas.

Se da outra vez ele incorporou o espírito easy rider e percorreu caminhos e country roads desvendando a alma do americano middle class, desta vez, ele vem acompanhado da filha de 15 anos.

O festival de situações que viram piadas de (mau?) gosto duvidoso, continua. O alvo são os políticos e a eleição 2020.

A técnica das filmagens continua a mesma.

Diálogos com pessoas em suas atividades cotidianas e aparência de entrevistas à indigente e bizarra equipe de TV.

O primeiro filme terminou  em várias demandas judiciais pelo uso não autorizado das imagens.

O segundo, na pré-estreia já começou causando constrangimento ao ex-prefeito de Nova Iorque, dos principais advogados de Trump, que aceitou ser entrevistado pela televisão mambembe, em um quarto de hotel.

Rudolph Giuliani por muito pouco não avança o sinal com a adolescente-assistente Tutar (vivida por Maria Bakalova) antes de descobrir que o enredo gaiato era ficção.

Até chegar ao objetivo da excursão, as vísceras da América são expostas nas contradições do establishment. Racismo, misoginia, armas, antissemitismo, aborto.

A sub-celebridade da Ásia Central que teria cumprido pena de prisão por ter denegrido a imagem  do seu país, tem uma segunda chance.

No Filme Subsequente, Borat volta como embaixador de boa-vontade com a missão de  agradar ao Presidente McDonald Trump.

Lógico que o caminho mais curto é espinafrar os democratas e fazer como os republicanos.

Sem nenhuma preocupação em não parecer politicamente incorreto.

Lançado às vésperas da eleição, mesmo não tendo conseguido presentear o “vice-premier” Mike Pence com a  filha adolescente, os produtores esperam que o público feminino reflita sobre o voto que irão dar, ou que já anteciparam.

Seria bom se a próxima parada da trupe fosse em certa republiqueta mais ao sul.

Assunto não falta.

Só a primeira família dá pra rodar um longa metragem.

Com uma única mudança.

No país onde a arte não consegue imitar o escracho, os atores são dispensáveis.

Ou quem haveria de interpretar um senador explicando como a dinheirama foi parar no seu cofrinho?

Borat Subsequent Moviefilm – Official Trailer | Prime Video

Comentários do Site

  1. Domicio Arruda
    Responder

    Guga Chacra no Twitter:
    E não é que o Bolsonaro aparece como motivo de chacota no início do novo filme do Borat?
    TL esclarece:
    Como um dos líderes mundiais, ao lado de Trump, Putin, Kim Jong-un e o rapper Kanye West

Deixe um comentário