Vinho e Música – Summer Wind por Willie Nelson

22 de julho de 2019 por Elmano Marques

A canção Summer Wind interpretada por Willie Nelson pede para harmonizar um tinto de Pinot Noir do Novo Mundo, do Oregon

ProWine China 2019 e o crescente interesse chinês por vinho

22 de julho de 2019 por Elmano Marques

ProWein-China

A China tem visto um crescente interesse em vinhos e bebidas espirituosas desde o começo do século XXI e a ProWine China, segundo o site Wine Business, é talvez a principal feira naquele país a orientar suas atividades na aquisição de mais visitantes e potenciais consumidores dessas bebidas. Para se ter uma ideia do potencial da feira, o registro de expositores para o evento que será realizado entre 12 e 14 de novembro de 2019, em Xangai, foi o maior até agora, com impressionante participação internacional. Alemanha, Áustria, Itália e Portugal ampliaram muito seu espaço nos pavilhões desse ano.  Sérvia e Bulgária estão entre os países recém-chegados, cada um com seu próprio estande nacional. O número de expositores chineses também aumentou. E a feira desse ano, particularmente, chamará a atenção para várias regiões vinícolas importantes que farão sua primeira participação, dentre elas Chianti Clássico e Vino Nobile di Montepulciano da Itália, a francesa Beaujolais e a espanhola Montsant. O foco da feira é o norte da China, especialmente os consumidores de Pequin, Tianjin, Hebei, Mongólia Interior, Liaoning e Jilin, a quem serão oferecidos, promoções específicas, master classes e jantares temáticos.

Por: arcos Adair

Você sabe o que é a dupla decantação?

22 de julho de 2019 por Elmano Marques

Waiter pouring the wine in a glass

Decantar o vinho, conforme conceito sintético do livro Vinho para Leigos, é transferir o vinho de uma garrafa para outro recipiente, geralmente de vidro ou cristal, com o objetivo de arejar o vinho ou para separá-lo dos sedimentos (o blog Vino Divino Vino já abordou esse assunto na matéria “Sobre o decanter e a decantação”, de 20 de dezembro de 2010). Mas o que seria dupla decantação ou “double decanting”? Segundo a revista inglesa Decanter, dupla decantação é o processo de decantar um vinho duas vezes; normalmente consiste em passar o vinho da garrafa para um decantador, e depois de volta para a garrafa (depois de limpa dos sedimentos, se existirem). Mas por que isso? Stefan Neumann MS, chefe do sommelier no Dinner by Heston em Londres, e juiz do concurso Decanter World Wine Awards, diz que há três razões principais para a dupla decantação do vinho: (1) abrir um vinho fechado ou tímido em um curto período de tempo; (2) remover uma grande quantidade de sedimentos; (3) preparar o vinho para um grande grupo de pessoas com antecedência. Quais vinhos são adequados para decantação dupla? Vinhos ricos concentrados, de vermelho profundo, com altos níveis de taninos e extratos, como safras jovens dos seguintes vinhos: Barolo ou Barbaresco, Cabernet Sauvignon do Napa, Malbec argentino ou grandes Bordeaux. Segundo a revista Adega, essa ténica é tão tradicionalmente usada em Bordeaux que também é chamada “decantação bordalesa”. Obviamente que não se faz isso com um vinho de estrutura perfumada ou delicada, como um Pinot Noir. Esse método é muito usado em restaurantes e feiras de produtores para que os consumidores ou profissionais saibam exatamente quais rótulos estão provando.

Por: Marcos Adair

Seis grandes celebridades que fazem vinhos ou têm suas próprias vinhas

22 de julho de 2019 por Elmano Marques

A MIRAVAL

O mais recente símbolo de status para muitas estrelas é lançar (ou comprar) sua própria vinícola. O Blog Vino Divino Vino listou  seis grandes celebridades que também são famosos produtores de vinho, alguns deles investiram em suas próprias vinhas e outros se juntaram a uma vinícola estabelecida para criar sua própria coleção de vinhos.

A MIRAVAL TRES

Brad Pitt e Angelina Jolie, Château Miraval, sul da França

Brad Pitt e Angelina Jolie eram o epítome de um casal poderoso. Entre seus projetos e prêmios de caridade, Angie e Brad possuem uma propriedade e uma vinícola de US $ 60 milhões localizada na Provence.
Sua vinícola está localizada no Château Miraval, uma propriedade de 1.200 acres na aldeia de Correns, na França. Construída em 1841, a casa de campo francesa tem 35 quartos e 926 acres de fontes, jardins e florestas. O casal conseguiu lançar vinhos que foram premiados como um vinho rosé chamado Chateau Miraval. Este vinho, que foi um dos 100 melhores vinhos da Wine Spectator.

Cune Crianza 2009

22 de julho de 2019 por Elmano Marques

vinho-cune-crianza-2012-cvne-0126120-cvne-416x1200

País: Espanha

Região: Rioja

Castas: Tempranillo (80%) e Garnacha e Mazuelo (20%)

No visual: Corr vermelho rubi  reflexos granada.

No Visual: Rubi intenso com reflexos granada, límpido, brilhante e bem coberto

No Olfativo: Excelente apresentação aromática com notas de frutas vermelhas frescas, alcaçuz, notas tostadas e de especiarias e de baunilha.

No Gustativo: Bom corpo e boa estrutura. No palato, acidez correta, taninos finos e elegantes, notas de frutas bem integradas com chocolate e baunilha.  Final elegante e persistente.

Enogastronomia: Ideal para harmonizar com carnes vermelhas grelhadas e assadas, legumes, cozidos e arroz e pratos da cozinha mediterrânea,

Onde Comprar: Vinci Loucos por Vinhos      Preço:R$ 160,00

Que famosa região de vinho proibiu palavrões no vinhedo?

21 de julho de 2019 por Elmano Marques

TOKAY

Embora os vinhedos de todo o mundo possam parecer muito bonitos, com sua folhagem exuberante e cachos de uvas brilhosos, que lembram pequenas joias, qualquer um que já tenha trabalhado entre as videiras sabe que o trabalho não é fácil. São jornadas de longas horas e desgaste físico que muitas vezes faz os trabalhadores exaustos soltarem alguns palavrões. Mas há uma região vinícola no mundo onde os vinhedos eram considerados tão sagrados – um presente de Deus – que era proibido dizer palavrões. A região é Tokaj, na Hungria, famosa principalmente pelos seus vinhos Tokaji (ou Tokay) Aszu e Eszencia. Tokaj foi a primeira região no mundo a ter uma classificação e delimitação de seus vinhos e vinhedos, no ano 1700 (56 anos antes da demarcação do Douro). A igreja dominava a região e considerava os vinhedos sagrados, então qualquer um que fosse pego fazendo xingamentos poderia ser multado – e a multa dobrava de valor se fosse um homem nobre. Os vinhos Tokaji Aszu e Eszencia foram muito cobiçados por reis, rainhas e sacerdotes, conforme afirma Peter Molnar, presidente do conselho Tokaj. Desde o início, esses vinhos eram tão especiais que eram considerados os vinhos da realeza. Ainda chamados de “ouro líquido ou luxo líquido hoje”, os Eszencias mais raros são produzidos apenas em anos especiais, cada fruta colhida individualmente à mão e são tão caras que são frequentemente servidas em uma colher de cristal. A multa por palavrões foi abolida, mas a região nunca deixou de ser considerada fascinante e valiosa.

Por: Marcos Adair

 

Preços de vinhos colecionáveis continuam crescendo

21 de julho de 2019 por Elmano Marques

VINHOS COLECIONAVEIS

Os preços dos vinhos finos subiram para os maiores níveis desde o ano de 2011 e reluzem como ouro quando se trata de itens colecionáveis. Basta consultar o site do “Liv-ex Fine Wine 100” – que representa o movimento de preços dos 100 vinhos mais procurados do mercado de leilões – para saber que o preço desses vinhos só vem crescendo. Uma pesquisa encomendada pela imobiliária britânica Knight Frank concluiu que comprar vinhos raros foi o melhor investimento em 2016 no segmento de itens colecionáveis, título que nos cinco anos anteriores pertenceu aos modelos clássicos de carros de luxo. Segundo a revista Adega, a taxa de crescimento de preços de vinhos colecionáveis foi de 2,37% em 2018 e vem acumulando 15% nos últimos 5 anos, o que é um feito impressionante.  Durante os últimos anos, quase todos os índices da Liv-ex, como Bordeaux 500 (os 500 principais vinhos de Bordeaux), Borgonha 150, Itália 100, Champanhe 50, vem apontando crescimento constante, com destaque para os produtores da Borgonha ano passado, que tiveram uma grande demanda global. Impulsionados pela sua raridade, vinhos colecionáveis acabam garantindo ganhos dignos de investimentos em ações.

Por Marcos Adair

Provar, degustar e conhecer… Vinhos bons e baratos – Cabeça de Poteo 2017

21 de julho de 2019 por Elmano Marques

Cabeça-do-Pote-Branco

País: Porugal

Região: Douro

Castas: Viozinho, Malvasia Fina e Moscatel Galego e outras castas típicas do Douro.

No visual: Corr citrina com laivos esverdeados

No Olfativo: Paleta aromática com notas  frutados frescas, que encantam.

No Gustativo: De corpo  leve e estrutura idem. Boa acidez, e um leve toque frutado muito bem integrado. Tem um final redondo, complexo,.

EnoGastronomia: Ideal para harmonizar  com peixe fresco grelhado, carnes brancas e como aperitivo.

Onde Comprar: Adega Central   Preço: R$49,00

Harmonização Vinho e Comida – Carré de Cordeiro em crosta de pistache harmoniza com quais vinhos?

20 de julho de 2019 por Elmano Marques

CARRE COM PISTACHE

Os vinhos ideais para harmonização são os tintos franceses de Côtes-du-Rhone, particularmente os Hermitage.

Resveratrol do vinho tinto poderá ajudar astronautas em Marte

20 de julho de 2019 por Elmano Marques

MARTE

Um novo estudo publicado no jornal “Frontiers in Physiology” sugere que o resveratrol, antioxidante e composto encontrado na semente e na casca das uvas tintas, pode ser parte da estratégia alimentar para manter os astronautas saudáveis quando chegarem em Marte. No Planeta Vermelho, os astronautas vão ficar expostos a apenas 40% da gravidade da Terra. Músculos que suportam peso podem perder o máximo de condicionamento. Segundo Ashley Strickland da CNN, os autores do experimento deixaram ratos expostos à gravidade normal da Terra e à gravidade marciana simulada durante 14 dias. Metade dos expostos à gravidade de Marte tinha resveratrol no suprimento de água e a outra não. A gravidade reduzida levou a uma perda de aderência, peso muscular, circunferência da panturrilha e fibras musculares de contração lenta nos ratos que não receberam resveratrol. Mas aqueles que receberam a água suplementada se comportaram praticamente como se estivessem na gravidade normal da Terra. A massa muscular ficou protegida e a perda de fibras musculares não era tão grande. No entanto, a circunferência e as fibras musculares da panturrilha ainda diminuíram. Segundo afirmam os pesquisadores, as estratégias dietéticas podem ser fundamentais, especialmente porque os astronautas não terão acesso a máquinas de exercícios físicos. Embora seja necessário um estudo mais aprofundado, ficou comprovado que uma dose diária moderada de Revesratrol ajudaria muito a mitigar o descondicionamento muscular dos astronautas em Marte.

Por: Marcos Adair