Gambero Rosso 2022 divulga os Tre Bicchieri da Sicilia

23 de setembro de 2021 por Elmano Marques

SICILIA DEF

Como todos os anos, setembro é o mês em que os famosos ” Tre Bicchieri ” premiados pelo Gambero Rosso são publicados. Vinte e seis (26)  vinhos da Sicilia  obtiveram o Tre Bicchieri no guia Vini d’Italia 2022 del Gambero Rosso. Ei-los:

  • Rosso Riserva del Conte 2016 Tasca d’Almerita
  • Contrada R 2019 Passopisciaro
  • Etna Bianco A’ Puddara 2019 Tenuta di Fessina
  • Etna Bianco Alta Mora 2020 Alta Mora
  • Etna Bianco Anthemis 2019 Monteleone
  • Etna Bianco Arcuria 2019 Graci
  • Etna Bianco Cavanera Ripa di Scorciavacca 2020 Firriato
  • Etna Bianco Nerina 2020 Girolamo Russo
  • Etna Bianco Pietrarizzo 2020 Tornatore
  • Etna Bianco Sup. Contrada Rinazzo 2019 Benanti
  • Etna Rosso Barbagalli 2018 Pietradolce
  • Etna Rosso Croceferro 2019 Generazione Alessandro
  • Etna Rosso Lenza di Munti 720 slm 2018 Nicosia
  • Etna Rosso Vico Prephylloxera 2018 Tenute Bosco
  • Etna Rosso Zottorinoto Ris. 2017 Cottanera
  • Faro 2018 Bonavita
  • Faro 2019 Casematte
  • Occhio di Terra Malvasia 2020 Caravaglio
  • Passito di Pantelleria Ben Ryé 2018 Donnafugata
  • Salealto Tenuta Ficuzza 2019 Cusumano
  • Santannella Mandrarossa 2020 Settesoli
  • Sicilia Nero d’Avola Saia 2019 Feudo Maccari
  • Sicilia Nero d’Avola Versace 2019 Feudi del Pisciotto
  • Sicilia Perricone Furioso 2018 Assuli
  • Sicilia Syrah Kaid 2019 Alessandro di Camporeale
  • Zhabib Passito 2020 Hibiscus

 

 

Furtos de uvas nos vinhedos de Champagne

23 de setembro de 2021 por Elmano Marques

CHAMPAGNE DEF

Acredite-se ou não, dois hectares de uvas foram furtados nos vinhedos de um viticultor de Champagne – um veterano do exército francês. Segundo informou o site Wine-Searcher, Morgan Moutaud, de 34 anos, possui um vinhedo em Le Mesnil-le Huttier, 15 km a oeste de Épernay, na sub-região do Vallée de la Marne de Champagne, e disse que os ladrões levaram cerca de 70% de sua produção. Mas ele não está sozinho. “Há vários de nós, viticultores, nessa situação”, alertou Moutaud à estação de notícias regional Union. “Andamos por aí à noite e tentamos nos organizar – o melhor que podemos – para evitar esses furtos”. Esse realmente não é um incidente isolado em Champagne. Parece que se tornou comum o furto de uvas na região em anos de penúria. “É uma jogada clássica”, disse o produtor de Ay René Gessete ao canal de notícias francês Capital, em 2019, “especialmente em safras de baixo rendimento. Você costuma ouvir que alguém teve 400 kg de uvas furtados de suas vinhas”. A temporada de cultivo de 2021 foi difícil na França e Champagne não foi poupada. As geadas da primavera no início deste ano e o aparecimento de mofo nos vinhedos durante a temporada podem ser responsáveis por uma redução na produção de cerca de 50% em algumas áreas, de acordo com relatórios recentes. Como as chuvas recentes provavelmente terão um efeito prejudicial também em algumas áreas do sul da França e do Languedoc, é possível que o furto de uvas não fique confinado apenas à Champagne.

Por: Marcos Adair

Carga de vinhos avaliada em 500 mil reais é apreendida em meio a sacas de cebola

21 de setembro de 2021 por Elmano Marques

A CARGA DEF

As apreensões de vinho contrabandeado da Argentina continuam ocorrendo no sul do país e estão cada vez mais comuns. Conforme noticiado pelo site da revista Adega, a Polícia Militar de Santa Catarina uma apreensão de mais de 500 mil reais em vinhos durante uma abordagem em Princesa, cidade no oeste catarinense, em uma operação chamada Hórus, que visa combater crimes de tráfico, contrabando e descaminho nas fronteiras nacionais. A bebida estava escondida em um caminhão embaixo de sacas de cebola. Três homens foram presos, dois que estavam no caminhão e um que acompanhava a carga em outro carro. Os vinhos eram provenientes da Argentina e não possuíam documentação do trâmite legal de entrada no país. Ao todo, 2.200 garrafas de vinho, que estavam divididas em 370 caixas, foram apreendidas. Os vinhos e os três suspeitos foram encaminhados à Polícia Federal que possui competência para comandar a investigação de crimes desta natureza. É sempre importante lembrar que o vinho é uma bebida que necessita de transporte e armazenamento adequados para não estragar ou para não perder qualidade.

Por: Marcos Adair

Provar, degustar e conhecer… Vinhos bons e baratos – Tiroliro Alvarinho 2020

20 de setembro de 2021 por Elmano Marques

ALVARINHO DEF

Pais: Portugal

Região: Minho

Casta: Alvarinho (100%)

No Visual: Cor amarelo palha. Límpido.

No Olfativo: Paleta aromática complexa caracterizada pela presença de notas de frutas cítricas e nectarinas além de toques minerais.

No Gustativo: Corpo leve e estrutura idem. No palato, frescor envolvente, acidez controlada e um corpo elegante..

Enogastronomia: Ideal para harmonizar com pratos de peixe, frutos do mar e carnes brancas..

Onde Comprar: Nordestão Preço: R$54,00

Jancis Robinson vende o seu site de vinhos

20 de setembro de 2021 por Elmano Marques

A JUANCIS UM

A jornalista e crítica de vinhos inglesa Jancis Robinson, Master of Wine, anunciou a venda do seu site de vinhos à Recurrent, empresa de mídia digital com sede em Miami. Segundo matéria publicada pela Revista de Vinhos de Portugal, Jancis Robinson começou a escrever sobre vinhos em 1975. Ao longo desse percurso, editou mais de duas dezenas de livros sobre o tema, algumas verdadeiras referências de conhecimento sobre vinho. Em 2000 criou e lançou o site jancisrobinson.com, página que ao longo dos anos se tornou um site de referência, com mais de 200 mil notas de provas. O crescimento deste projeto foi rápido e hoje tem mais de 15 colaboradores, incluindo outros sete Masters of Wine. A página foi agora vendida à Recurrent, empresa de origem americana. O valor da venda não foi divulgado. Jancis Robinson continuará a ocupar o cargo de editora chefe do seu site.

Por: Marcos Adair

Vinhos de baixo teor alcoólico e poucas calorias

19 de setembro de 2021 por Elmano Marques

A BRIGHT DEF

Os produtos com menor teor alcoólico e poucas calorias estão virando uma tendência mundial, especialmente entre as pessoas que compõem a geração X (Millenials) – a respeito do assunto, veja a matéria “A preocupação com o teor alcoólico do vinho” publicada pelo blog em 22 e 23 de março de 2021. E o vinho não poderia ficar de fora disso. Segundo matéria publicada pela revista Wine, a famosa vinícola australiana Yellow Tail acabou de lançar uma linha de rótulos denominado “Pure Bright”, composta de três varietais brancos que não ficam devendo nada aos seus correspondentes regulares em aroma e paladar. O Pure Bright Chardonnay possui teor alcoólico de 9,6% e 56 Kcal por taça de 100 ml, contra 13% e 80 kcal do Chardonnay comum do fabricante. O Pure Bright Pinot Griggio e o Pure Bright Sauvignon Blanc apresentam em torno de 8,5% de álcool por volume e 54 Kcal por taça de 100 ml, contra 11,5% de álcool por volume e 108 Kcal dos correspondentes regulares. Essa linha de vinhos ainda apresenta baixos índices de carboidratos.

Por: Marcos Adair

Os 10 melhores custos-benefícios de Chardonnay em 2021

18 de setembro de 2021 por Elmano Marques

A BAGLIO

de lugares tão distantes como França, Califórnia, Nova Zelândia e Austrália (ver a matéria “Os 10 melhores custos-benefícios de Chardonnay em 2020” publicada pelo blog em 18 de setembro de 2020). Porém, este ano é tudo sobre o Chile – metade dos vinhos da lista deste ano vem de um país que se destacou oferecendo vinhos de boa qualidade a preços de valor. Segue abaixo a lista dos 10 melhores custos-benefícios em Chardonnay do mundo em 2021, segundo o Wine-Searcher (com preços em dólares, sem impostos):

01 – 2019 Baglio del Cristo di Campobello Laudari Chardonnay, Sicília – 5,88

02 – 2017 Tabali Talinay Chardonnay, Vale Limari – 5,52

03 – 2018 Tabali Talinay Chardonnay, Vale Limari – 5,22

04 – 2020 Tabali Talinay Chardonnay, Vale Limari – 4,00

05 – 2019 Tabali Talinay Chardonnay, Vale do Limari – 3,35

06 – 2018 De Morgenzon Reserve Chardonnay, Stellenbosch – 2,82

07 – 2011 TarraWarra Estate Reserve Chardonnay, Yarra Valley – 2,71

08 – 2017 Arterberry Maresh Chardonnay, Dundee Hills – 2,21

09 – 2018 Baettig Seleccion de Parcelas Los Primos, Traiguen – 1,68

10 – 2017 Weingut Erwin Sabathi Alte Reben, Südsteiermark – 1,62

Por: Marcos Adair

As 8 dicas do que fazer antes e depois de beber para evitar uma ressaca (1)

17 de setembro de 2021 por Elmano Marques

A RESSACA

A ressaca é um indicador de que erramos na forma de consumir bebida alcoólica. Isso está relacionado normalmente com o exagero na dose ou distribuição inadequada do consumo em uma determinada ocasião. Segundo explica Dr. Jairo Bouer em matéria no site do Uol, os sintomas físicos mais comuns de uma ressaca são: dor de cabeça, muita sede, aversão à luz e enjoo. A pessoa nessa situação pode também ficar mais lenta, irritada e com maior dificuldade de concentração. Mas existem algumas dicas de prevenção e cura para os dias em que você exagerou  no consumo de álcool. Dr. Jairo Bouer elencou 8 dicas para evitar uma ressaca:

Antes de beber:

  1. Nunca beba de estômago vazio: beber de estômago vazio pode aumentar as chances de ressaca. Alimentos ricos em proteínas são a opção mais segura para essa situação (demoram mais para serem digeridos, diminuindo a velocidade do aumento do nível de álcool no sangue).
  2. Evite as bebidas escuras: os chamados congêneres são substâncias não alcoólicas produzidas durante a fermentação (acetona, acetaldeído e taninos) e que mudam a coloração das bebidas, deixando os sabores diferentes. Não há consenso, mas algumas pesquisas relacionam bebidas com maior quantidade dessa substância –o caso do uísque – a uma maior intensidade das ressacas.
  3. Cuidado com as bebidas borbulhantes: pesquisas dizem que as bolhas podem acelerar a absorção do álcool. Consumir bebidas alcoólicas, como espumante, fará com que você se embebede mais rápido e, assim, tenha ressacas fortes.
  4. Tome vitaminas: o corpo usa vitaminas e minerais essenciais ao digerir e metabolizar o álcool, levando ao esgotamento desses componentes e à piora da ressaca. Antes de uma noite de bebedeira, talvez você possa ajudar seu fígado tomando suplementos vitamínicos – especialmente vitamina B, pois o álcool a destrói quando consumido.

Por: Marcos Adair

Os Melhores Cabernet Sauvignon da Argentina, segundo a Decanter

16 de setembro de 2021 por Elmano Marques
DUE UM A DEFEis os dez Melhores Cabernet Sauvignon argentinos, segundo a Decanter:
Due 2017, Bodega Noemia – Mainqué, Río Negro
Primus 2016, Bodega Salentein – Valle de Uco, Mendoza
Volturno 2018, Viña Cobos – Mendoza
La Linterna Parcela N°19 Las Mercedes 2016, Bemberg – Valle de Cafayate, Salta
Terroir Series Finca Laborde Cabernet Sauvignon 2017, Bodega Trapiche – La Consulta
Nicolás Catena Zapata 2016, Catena Zapata – Mendoza
Finca Los Membrillos 2018, Zuccardi – La Consulta
Apartado Gran Cabernet Sauvignon 2015, Rutini – Valle de Uco, Mendoza
Eugenio Bustos Cabernet Sauvignon 2017, La Celia – San Carlos, Mendoza
Grand Cabernet Sauvignon 2018, Terrazas de los Andes – Mendoza

Euforia do consumo de vinho diminuindo

15 de setembro de 2021 por Elmano Marques

TENDENCIA UM

Durante a pandemia de Covid-19, em 2020, o Brasil presenciou um salto impressionante no consumo de vinhos, tanto nacionais como importados. Os números foram recordes, apontando-se um aumento de aproximadamente 40% em relação a 2019. A participação dos vinhos brasileiros alcançou 82%, quando a média costumeira era 60 ou 70% – chegou a faltar garrafas para os produtores engarrafarem seus vinhos. Porém, segundo informou matéria publicada pela Ideal Consulting, a euforia com o consumo de vinho está chegando ao fim, ou, ao menos, diminuindo significativamente seu ritmo. Por exemplo, o acumulado entre janeiro e julho de 2021 foi 13% menor que em 2020 (embora sendo ainda 28% a mais que 2019). Nesse período, foram comercializados 256,7 milhões de litros, 2% a menos que entre janeiro a julho de 2020. Analisando apenas julho de 2021, a comercialização de vinhos nacionais e importados caiu 22% em relação a julho de 2020. O gráfico que compara o volume de vinhos que chega mês a mês no mercado também vai ganhando uma curva mais parecida com 2019, com o passar dos meses. Os números de 2021, é claro, permanecerão acima dos registrados em 2019, mas serão menores que o eufórico ano de 2020. E, mesmo com o fim da euforia no futuro, o vinho brasileiro demonstra que tem espaço para crescer.

Por: Marcos Adair