Harmonização Vinho e Comida – Salada de atum e pasta ao estilo mediterrâneo harmoniza com quais vinhos?

19 de março de 2019 por Elmano Marques

TUNA DEF

Os vinhos ideais para harmonização são os brancos franceses de Viognier.

Vinho e Música – Cinema Paradiso Love Theme por Wedding String Quartet

19 de março de 2019 por Elmano Marques

A canção  Cinema Paradiso, tema criado por Enio Moricone para o filme do mesmo nome, pede para harmonizar um Brunello di Montalcino Riserva.

Biblioteca para Enófilos: New Zealand Wine: The Land, The Vines, The People

19 de março de 2019 por Elmano Marques

ZEALAND DEF

Embora a indústria vinícola da Nova Zelândia tenha realmente começado há apenas cinquenta anos, as videiras e os vinicultores se espalharam da região central de Otago a Kumeu, Waipara a Wairarapa – para produzir vinhos notáveis e aclamados mundialmente. E durante meio século, o geógrafo e entusiasta do vinho Warren Moran acompanhou o desenvolvimento da indústria, conversando com os produtores de vinho e provando os vinhos. No seu livro New Zealand Wine, ele entrega ao leitor uma introdução incomparável ao vinho da Nova Zelândia: o clima, os solos e a geografia com os quais os produtores de vinho trabalham; as variedades de uva que eles tentaram domar e as extraordinárias personalidades, famílias e empresas que fizeram o vinho e a indústria internacionalmente reconhecidos.
Ilustrado com mapas tridimensionais de regiões e localidades além  de fotografias espetaculares dos vinhedos, vinhos, vinicultores da terrae do seu povo o livro New Zealand Wine é uma obrigação para todos interessados em compreender os vinhos extraordinários de Nova Zelândia.

Título: New Zealand Wine: The Land, The Wines, The People

Autor: Warren Moran

Número de páginas: 384 páginas

Editora: Hardie Grant

Ano de edição: 2017

Idioma: Inglês

ISBN-10: 1743793022

ISBN-13: 978-1743793022

Harmonização Vinho e Comida – Nhoque com salmão defumado e ervilhas harmoniza com quais vinhos?

18 de março de 2019 por Elmano Marques

NhoQUE DE SALMÃO DEF

Os vinhos ideais para harmonização são os brancos austríacos de Grüner Veltliner

Vinho e Música – Raise A Man por Alicia Keys

18 de março de 2019 por Elmano Marques

A canção Raise A Man interpretada  por Alicia Keys pede para harmonizar um Pinot Noir do Novo Mundo, do Oregon, mais especificamente.

Álbum da Semana – Do Outro Lado Do Azul de Andrea Motis

18 de março de 2019 por Elmano Marques

ANDREA

Depois de “Emotional Dance” lançado em 2017 que deu a Andrea a oportunidade de mostrar, com grande brio, um universo muito pessoal de grande interprete de jazz, ela refinou e aprimorou a riqueza de seu repertório habitual e se lançou em busca de novos sons e ritmos com seu mais novo álbum “Do Outro Lado Do Azul”, inquestionavelmente o projeto mais ambicioso e pessoal de sua jovem carreira. Neste álbum com ritmos e sons que marcam uma ruptura definitiva com o Great American Songbook e voltantando-se para a música brasileira, ela demonstra um imenso bom gosto, interpretando canções como Antonico, Dança Da Solidão, Filho De Oxum, Pra que discutir com Madame, Saudades da Guanabara, Samba de Um Minuto, de maneira muito própria e original. Ao adornar seu disco com composições originais maravilhosamente sensíveis como  “Brisa”, um pequeno samba travesso, ou  “Sensa Pressa”, uma suntuosa e preguiçosa balada cheia de sol – além de uma nova e magistral interpretação de “Mediterraneo”, do grande cantor catalão Joan Manuel Serrat, Andrea consegue fazer Do Outro Lado Do Azul uma obra eminentemente pessoal que pode ser vista como uma expressão de autêntica emancipação criativa, apresentada aqui na forma de um manifesto estético. Disponível no Spotfy.

PS: Ideal para ouvir degustando um espumante brasileiro da melhor qualidade.

Onze Denominações de Origem Espanholas e seus vinhos que superam expectativas – (XI) D.O. Valdeorras

18 de março de 2019 por Elmano Marques

VALDEORRAS DEF

Há na Espanha um sem número de Denominações de Origem  desconhecida do grande público e entre elas algumas, que elaboram vinhos que se contrapõem ao lugar comum e superam expectativas. Dentre elas destacam-se onze  Denominações de Origem, com maior expressividade.

D.O. Valdeorras

As castas referências neste selo de origem e qualidade de Ourense são a Godello para os vinhos brancos e a Mencía, para os tintos. No entanto, a classificação do Conselho Regulador revela uma diversidade muito maior. Assim,entre os brancos estabelece as categorias Valdeorras Godelho (varietal), Valdeorras Castas Noble (pelo menos 85% de Godello) e Valdeorras Branco (acomoda Godello e outras autorizadas em qualquer proporção). O mesmo esquema é seguido nos tintos, com Valdeorras Mencía, Valdeorras Castas Nobles e Valdeorras Tinto.
Os vinhos tintos e as Valdeorras Godello também podem incorporar o nome Produção Controlada quando utilizam uvas de lotes com produção limitada. Muito interessante também são a Espumosos (mínimo 85% Godello) Tostados (vermelho ou Godello) e Crianza, ambos os vinhos brancos e tintos, cuja designação se aplica Cask, Crianza e Reserva sobrenomes com as condições estabelecidas pelo lei

Fonte: Vinetur

 

Château Gloria Saint-Julien 2014

18 de março de 2019 por Elmano Marques

CHATEAU gloria DEF

Pais: França

Região: Bordeaux

Castas: Cabernet Sauvignon (60%), Merlot (30%), Cabernet Franc (4%) e  Petit Verdot (6%)

No Visual: Cor rubi profundo com tons púrpura nas bordas. Límpido e brilhante, com lágrimas medianamente densas.

No Olfativo: Paleta aromática de muito boa intensidade, com aromas de frutas vermelhas maduras (groselha e morango), cedro, tabaco e toques minerais.

No Gustativo: Medianamente encorpado. No palato, acidez correta e taninos finos.  Presença de frutas, tabaco e grafite bem integrados a um vinho de muito caráter.

Enogastronomia: Ideal para harmonizar com carnes de caça e vermelhas, massas ao molho vermelho e queijos de média maturação

Onde Comprar: Evino Preço: R$ 399,00

Onze Denominações de Origem Espanholas e seus vinhos que superam expectativas – (X) D.O. Uclés

17 de março de 2019 por Elmano Marques

UCLÉS DEF

Há na Espanha um sem número de Denominações de Origem  desconhecida do grande público e entre elas algumas, que elaboram vinhos que se contrapõem ao lugar comum e superam expectativas. Dentre elas destacam-se onze  Denominações de Origem, com maior expressividade.

D.O. Uclés

Uclés, criada como denominação nos primeiros anos deste século, é famosa pelos seus tintos Cencibel ou Tempranillo. O Conselho Regulador os tipifica de acordo com seu tempo de guarda, de acordo com as convenções. Os Young Reds permitem adivinhar todo o potencial, mas dão prioridade ao frescor. Os Jovens tintos em Barril, com um mínimo de dois meses evoluindo com a madeira, ganham complexidade, que nos Tintos  de Crianza e nos Tintos Reserva já é inegável como exercício de recreação no palato.
Há uma década, este rótulo, que abrange áreas de Cuenca e Toledo, também admite Blancos entre os quais distingue Young, Fermentado em Barril e Crianza, Rosé e Espumante. Variedades como Verdejo, Chardonnay ou Moscatel ganharam relevância ao longo dos anos entre as vinícolas de Uclés, imersas no desenvolvimento de novos produtos baseados na tradição vinícola da região.

Investidor chinês da área de telecomunicações compra o Château de Cadillac-en-Fronsadais, propriedade histórica de Bordeaux

17 de março de 2019 por Elmano Marques

CADILLAC

Um empresário de mídia da Ásia identificado apenas como “Sr. Chen” comprou o Château de Cadillac-en-Fronsadais por um valor  não revelado, segundo os corretores da transação.
Chen, um investidor asiático nos setores de telecomunicações, mídia e tecnologia, comprou o Château de Cadillac-en-Fronsadais da família australiana Serisier.
A propriedade do AOC Bordeaux está localizada em Cadillac-en-Fronsadais, a noroeste de Libourne, e foi construída pelos Serisiers desde que adquiriram uma casa histórica conhecida como Château Cadillac em 2004.
A propriedade tem sua história ligada ao rei Eduardo II da Inglaterra em 1307, afirmou a Vineyards-Bordeaux, que é uma afiliada exclusiva da Christie’s International Real Estate.