Os vinhos clássicos (3)

3 de setembro de 2020 por Elmano Marques

Comentários 0

ARGENTA DEF

Segundo o site Wine Folly, no decorrer do tempo foi se formando uma lista de vinhos chamados “clássicos” entre os sommeliers e outras pessoas ligadas ao ensino sobre o vinho. Como visto no post anterior, são pelo menos 9 uvas brancas clássicas nessa classificação. Abaixo, seguem alistadas as 11 uvas que formam os “vinhos tintos clássicos”:

01 – Cabernet Sauvignon: uma das uvas mais difíceis de identificar em degustações, então a sugestão é aprender como ela difere de Merlot em Bordeaux, South Australia, Chile e EUA.

02 – Gamay: concentre-se apenas em Beaujolais, seu berço, e procure identificar os níveis de qualidade.

03 – Grenache: conheça Châteauneuf-du-Pape, a Grenache de South Austrália e, é claro, não deixe a Garnacha espanhola de fora.

04 – Malbec: procure conhecer a Malbec de Mendoza como você conhece seu melhor amigo.

05 – Merlot: não se deixe enganar, é fácil de ser confundida com a Cabernet Sauvignon e cresce nos mesmos locais.

06 – Nebbiolo: reúna amigos e compare Barolo e Barbaresco, as duas máximas expressões dessa cepa.

07 – Pinot Noir: mergulhe profundamente nas muitas sub-regiões da Borgonha, Califórnia, Oregon e Nova Zelândia.

08 – Sangiovese: os dois principais vinhos a se conhecer são Brunello di Montalcino e Chianti Classico, mas vale a pena experimentar o Montefalco Rosso.

09 – Syrah: a maioria dos sommeliers concorda que há muitas diferenças entre o Shiraz da Austrália do Sul e o Syrah do Norte de Rhône.

10 – Tempranillo: aprenda a ver a diferença entre Tempranillo, Cabernet e Sangiovese e pratique degustação de exemplares de Rioja (de todos os níveis) e Ribera del Duero.

Por: Marcos Adair

 

Faça um comentário

Comentários e pings estão fechados no momento.

Os comentários estão fechados.