Antioxidantes do vinho: uma perspectiva mais ampla (2)

26 de setembro de 2020 por Elmano Marques

Comentários 0

A CLÁSSICO

Muito se fala que os antioxidantes são benéficos para a nossa saúde e sabe-se que o vinho tinto possui vários antioxidantes, diz o site Wine Folly. O resveratrol (da casca da uva) pode ajudar a produzir colesterol “bom” (HDL), reduzir a produção de colesterol “ruim” (LDL) e prevenir coágulos sanguíneos. Está presente em quantidades muito pequenas no vinho, mas pode ser encontrado como suplemento derivado do vinho. A quercetina (da exposição ao sol da pele da uva) pode aumentar a imunidade e combater alergias. Ela é um tipo de tanino do vinho, existente na casca e semente da uva. Os compostos dos taninos podem prevenir infecções microbianas e proteger o DNA. A catequina e a epicatequina, outro tipo de tanino das sementes e cascas de uva, pode baixar o colesterol total e aumentar o colesterol HDL “bom”. A proantocianidina (um tanino condensado do vinho) pode melhorar a flexibilidade das articulações, melhorar a circulação sanguínea, prevenir infecções bacterianas e virais e combater alergias. O vinho branco também tem antioxidantes: a glutationa pode proteger contra os efeitos prejudiciais de produtos químicos tóxicos no meio ambiente e ajudar a prevenir o câncer e o ácido caféico pode prevenir doenças cardíacas e complicações renais. Apesar do vinho possuir tantos antioxidantes, ainda é uma bebida alcoólica e sempre deve-se alertar que precisa ser consumido com moderação. Ainda não se sabe se o consumo não moderado do vinho anula seus benefícios antioxidantes. Por outro lado, ainda não existe uma certeza absoluta de que beber vinho, mesmo de forma moderada e sem que o álcool prejudique o organismo, trata-se de um benefício real à saúde. Enquanto essa certeza não chega, se você optar por beber vinho, lembre-se de que o benefício mais importante que ele nos traz é o prazer. Vinho é muito mais do que ciência e saúde. é popularizar o consumo dos vinhos em lata, que passou a ser comercializado no Brasil há pouco tempo, mas que já faz muito sucesso lá fora. “O vinho em lata já é uma tendência no mundo, principalmente na Europa, e aqui temos o clima propício para o seu consumo. A praticidade e proposta da lata é ser uma bebida descompromissada para que as pessoas aproveitem o momento”, diz Eduardo. Com o mesmo método usado na criação de vinhos finos, privilegiando o uso de tanques em aço inox para manter o caráter frutado e fresco dos líquidos, o cultivo das uvas e produção dos vinhos “Vibra!” está sendo terceirizado para a Vinícola Góes, fundada em 1938, em São Roque-SP.

Por: Marcos Adair

 

 

 

 

Faça um comentário

Comentários e pings estão fechados no momento.

Os comentários estão fechados.