Sete crenças sobre o vinho que não são inteiramente verdadeiras (VI)

12 de fevereiro de 2018 por Elmano Marques

Comentários 0

BLANCO VINO

Há algumas afirmações, com referência ao mundo do vinho, que de uma maneira geral são consideradas verdadeiras e não são tão verdadeiras assim. A realidade é que, por trás de tais afirmações, há um certo teor de verdade ou alguma história que as fez ser divulgadas e passar a fazer parte da “sabedoria popular”.
O Blog Vino Divino Vino, gostaria de compartilhar com com o leitor e enófilo, algumas dessas “verdades” e dizer em que elas estão ou são baseadas ou a quais histórias elas se referem.

BLANCO DOIS DEF

6 – Os vinhos brancos, obrigatoriamente, tem que ser bebidos no ano da colheita

Nas mais diversas regiões produtoras de vinho, no passado,  os  brancos não tinham alta qualidade. Geralmente eram vinhos em que havia bons frutos, mas muito pouca acidez.. Devido a isso, eram vinhos que no máximo, dois anos desde que sua produção evoluíam mal. Muitas vezes, os aromas de frutas frescas tornavam-se aromas de frutas secas (amêndoa amarga), por causa da má aptidão para o envelhecimento.
Mas, o que aconteceu quando quando os paises produtores  começaram a produzir vinhos com maior acidez e melhor qualidade? Os vinhos melhoraram sua qualidade  e hoje há Albariños, só para exemplificar, com mais de cinco anos que estão absolutamente perfeitos. Mas não só isso, as técnicas de cultivo e vinificação melhoraram. Agora, há brancos, barricados, que são magníficos até dez anos após a colheita.

Faça um comentário

Comentários e pings estão fechados no momento.

Os comentários estão fechados.