Brunello de Montalcino – 3. Requisitos e métodos de produção.

16 de maio de 2019 por Elmano Marques

Comentários 0

MONTALCINO DEF

A região de cultivo do Brunello de Montalcino foi reconhecida como DOC (Denominação de Origem Controlada) na década de 1960 e em 1980 foi eleita DOCG (Denominação de Origem Controlada e Garantida). Ambas as denominações visam a assegurar a tipicidade do vinho (que ele seja característico daquele local), mas a DOCG, a grosso modo, tem regras ainda mais específicas de produção do que a DOC.

Dentre outras, a DOCG exige os seguintes requisitos para a produção de um Brunello de Montalcino: seja feito 100% com Sangiovese Grosso; grau alcoólico mínimo de 12,5%; rendimento máximo de uva de 8 toneladas por hectare; rendimento de uva no vinho de 68% (1,7 kg para 1l); afinamento mínimo de 2 anos em carvalho (anteriormente eram 4 para o Brunello comum e 5 anos para o riserva); afinamento mínimo em garrafa durante 4 meses (6 para o riserva); o engarrafamento só é feito na zona de produção; o lançamento só ocorre apenas 5 anos após a colheita (6 para o Riserva); e se usa somente garrafa bordalesa.

BRUNELLOS DOIS DEF

Existem três tipos de Brunellos, o de entrada, o cru ou de vinhedo único (o vinhedo é mencionado no rótulo) e o riserva. Cada vinícola decide se faz os três ou apenas dois deles. Cada vinícola também decide qual método usa para produzir seu Brunello, se de forma tradicional (clássica) ou moderna. O método tradicional consiste basicamente no uso de lagar de cimento; fermentação e maceração em barris de carvalho esloveno antigos de 500 hectolitros (o contato do vinho com a madeira é menor); e depois estágio em garrafa (o grande exemplo ainda é o Biondi-Santi). O método moderno foi difundido pela vinícola Castelo Banfi (pertencente a dois americanos), quando da sua fundação em 1978, e consiste em fermentação e maceração em tanques de inox; uso de barris de carvalho francês novos ou usados de 500 ou 225 litros (o contato do vinho com a madeira é maior e ela passa aromas baunilha e chocolate para o vinho); e depois estágio em garrafa. É possível que a vinícola decida usar um método misto, já que a DOCG deixa o produtor a vontade para isso. Normalmente os Brunellos tradicionais são mais fechados, ficam prontos mais tarde e duram mais tempo (a Biondi-Santi assegura que seu vinho dura 30 a 50 anos), enquanto que os modernos estão aptos pro consumo mais cedo e não são tão longevos (duram entre 10 a 30 anos, em média).

 

Faça um comentário

Comentários e pings estão fechados no momento.

Os comentários estão fechados.