Arquivos da categoria ‘Curiosidades’

O Dia dos Namorados: sua origem, a data, a celebração e o vinho

12 de junho de 2019

DIA DOS NAMORADOS

As sociedades ocidentais costumam celebrar  o Dia dos Namorados. Ao contrário de muitos países do mundo ocidental, no Brasil, a data é comemorada no dia 12 de junho (na Colômbia, a celebração é em setembro e na Catalunha, em 23 de abril). Festejada, em maior ou menor grau, das mais diferentes formas, embora haja pequenas variações (dependendo dos distintos lugares, onde se comemore), a forma de fazê-lo se assemelha em todo o mundo. Com base nessas comemorações, surge, como personagem representativo a conhecida figura de “Cupido”. Segundo os historiadores, há milhares de anos, os povos da Europa Central rendiam culto a um deus pagão (de origem remota e ignorada), o qual representava as “forças do Universo”. Quando estes povos passaram a habitar a Grécia no século XV a.C., os primeiros gregos conheceram a este deus que, inicialmente, chamaram o “fruto dos prazeres mundanos”. Com o passar dos anos e a entrada da civilização grega no seu apogeu, essa divindade foi nomeada como “Eros”, o “deus do prazer” (de acordo com a mitologia grega Eros foi fruto dos prazeres de Vênus e um dos seus amantes, Marte).
Os sacerdotes gregos decidiram dar-lhe um aspecto formoso, condizente com a dignidade de um deus, razão pela qual o transformaram em um adolescente desnudo, de rara beleza.  Séculos mais tarde, quando o Império Romano conquistou a Grécia e ocorreu o fenômeno de transculturação(o povo romano invasor absorveu a cultura grega, incluindo suas crenças religiosas), a imagem do deus, adolescente desnudo, Eros foi transformada em outra, ainda mais jovem, mais  feminina, com asas, chamada Cupido.  Os romanos elegeram uma data especial para festejar o novo deus, tomando como referência o dia 14, por situar-se justo na metade do mês da fertilidade pagã, fevereiro.  Passados os séculos de fortuna e glória e iniciada a decadência, o Império Romano sentiu a necessidade de conciliar as crenças pagãs com a fé cristã, para manter o congraçamento do seu povo. E Cupido transformou-se em San Valentin (Valentín era um sacerdote cristão que, no século III, casava em segredo os soldados das legiões romanas, proibidos de contrair matrimônio, sendo, por este motivo, preso e executado por ordem do Imperador Cláudio II, em 14 de fevereiro). Como o vinho, desde sempre, acompanhou as festas greco-romanas, também, no Dia de San Valentin, marca presença e ainda hoje a data é comemorada com vinho.

A Flora Springs, em Napa Valley, faz wine-tour e incentiva os hóspedes a interagir com os espíritos

27 de maio de 2019

GHOST DEF

Como uma das poucas Adegas Fantasmas remanescentes de Napa Valley, a Vinícola Flora Springs se diferencia oferecendo passeio pela vinícola e convida os visitantes a descobrir sua história de uma maneira não convencional. A Ghost Winery é uma vinícola que foi construída entre 1860 e 1900 e foi desativadono século XX com uma disseminada doença das videiras, a Grande Depressão e a Proibição devenda de bebidas alcoólicas. Surpreendentemente, a Vinícola Flora Springs continua produzindo seu vinho no mesmo local onde os passeios são conduzidos. O Wine Tour e Degustação da Adega Histórica dos Dezesseis Espíritos (Flora Springs) é oferecido em um domingo todos os meses, de abril a outubro, e os convidados podem ser guiados com segurança por ipesquisadores paranormais profissionais da Napa City Ghosts & Legends ao longo de duas horas. Como parte da experiência, os hóspedes das vinícolas podem saborear o Ghost Winery Malbec da Flora Springs.

 

Oito mitos do vinho sobre a saúde (VIII)

17 de maio de 2019

VINHO E FÍGADO

Se o enófilo é uma pessoa saudável, mais uma vez, o consumo moderado de vinho não é bom apenas para o fígado, mas também o fortalece, reduzindo o risco de desenvolver doenças, de acordo com vários estudos realizados nos últimos anos. Mas não só isso, essas mesmas investigações concluíram que, além disso, o consumo moderado e regular de vinho previne o acúmulo de gordura no fígado e o desenvolvimento de doença hepática gordurosa.

Oito mitos do vinho sobre a saúde (VII)

16 de maio de 2019

GRÁVIDA

O álcool é contraindicado em mulheres grávidas. Uma recomendação que é feita na maioria das vezes instintivamente, mais como uma forma de segurança do que de razão. No entanto, no caso do vinho, uma pequena taça de vez em quando não é absolutamente prejudicial para o feto. Existem vários estudos clínicos e rigorosos que demonstraram isso, desde que a mãe beba apenas uma taça de vinho, preferencialmente tinto, com as refeições.
De fato, estudos recentes concluíram que uma má nutrição da mãe ou o fato de fumar muito, têm maior incidência no feto do que o consumo moderado de vinho.

Oito mitos do vinho sobre a saúde (VI)

15 de maio de 2019

VINHO E REMÉDIO DEF

6.Os diabéticos não podem tomar vinho

Diabéticos podem beber quase qualquer tipo de vinho, desde que seja feito, moderadamente e seco ou com menos de 2 gramas de açúcar / litro. A maioria dos vinhos que são comercializados estão dentro desta faixa.
No entanto, deve-se ter cautela com vinhos semi-secos e doces, bem como sempre ter em mente o tipo de diabetes, bem como recomendações gerais para diabéticos e bebidas alcoólicas (alimentos, controle glicêmico, …) e, sempre consultar o médico.

Fonte: Vinetur

Oito mitos do vinho sobre a saúde (IV)

13 de maio de 2019

DOR DE CABEÇA DEF

4.Os sulfitos dão dor cabeça

Existe um grande mito sobre os sulfitos. Embora a maioria dos vinhos tenha sulfitos em sua composição, suas quantidades são muito baixas e não são responsáveis por dores de cabeça.
Segundo os estudos mais recentes, os responsáveis por todos esses efeitos são as histaminas. Vinhos com alto conteúdo de histamina podem causar em pessoas sensíveis uma alteração chamada histaminose, com dores de cabeça, sensibilidades e, em casos extremos, sintomas alérgicos. O consumo excessivo de vinho também pode causar dor de cabeça, porém pelo álcool, não pelos sulfitos.

Oito mitos do vinho sobre a saúde (III)

12 de maio de 2019

ENGORDA DEF

3.O vinho engorda

Os macro e micronutrientes contidos no vinho dificilmente contribuem com calorias. O vinho é 85% de água e a maior contribuição calórica do vinho vem do seu teor alcoólico. Uma taça de vinho tem aproximadamente 150 calorias em média. No entanto, de acordo com vários estudos, o álcool de vinho não é transformado em gordura porque segue um caminho metabólico diferente do resto dos carboidratos. O vinho passa para o sangue, mas não é absorvido como carboidrato, mas seu gasto energético é destinado à sua própria degradação no fígado.

Oito mitos do vinho sobre a saúde (II)

11 de maio de 2019

VINHO E HIPERTENSÃO DEF

Dentro do mundo do vinho existem muitos mitos que não são inteiramente verdadeiros e que foram estabelecidos como uma crença popular, especialmente no que diz respeito à saúde.
Entender as seguintes propriedades do vinho, que você provavelmente não conhecia, é fundamental quando se trata de entender os benefícios dessa bebida saudável.

HIPER DEF

2.O vinho causa hipertensão

O consumo habitual de vinho não afeta a pressão arterial nem tampouco os rins. O vinho é uma bebida com baixo teor de sódio (o teor médio de sódio em uma taça de vinho é de apenas 5 mg). A OMS recomenda não consumir mais de 5.000 mg por dia.
Uma vez que, o vinho tem baixo teor de álcool, em média 14% vol, e como a recomendação  é que o consumo deva ser moderado (uma ou duas taças por dia no máximo), a quantidade de álcool consumido com vinho é muito baixa.
Por tudo isso, o vinho não aumenta a pressão arterial quando consumido corretamente, de fato, há muitos estudos que demonstram o efeito do vinho saudável para o coração em particular, sempre tomado com moderação.

Fonte: Vinetur

Treze bebidas míticas provenientes da videira – 13. Vinho

27 de abril de 2019

VINHO DEF

13. Vinho

O vinho é uma das bebidas mais antigas do mundo. Os historiadores acreditam que o primeiro vinho foi feito no Neolítico, de acordo com os restos arqueológicos encontrados nas Montanhas Zagros, no Irã. Pouco a pouco, o cultivo da videira se expandiu para o ocidente. O vinho converteu-se em um mundo cheio de tradições com sua própria cultura. A prensagem da uva, a fermentação do mosto, o repuso e o engarrafamento são as quatro fases fundamentais que dão forma ao que é o processo de vinificação. Um consumo moderado de vinho é totalmente recomendado para a saúde, devido à sua ação antioxidante. De qualquer forma, qualquer desculpa é boa para brindar e ter um vinho!

Fonte:Vinopack

Treze bebidas míticas provenientes da videira – 11. Quina

25 de abril de 2019

A QUINA DEF11.Quina

Um pouco esquecida, a Quina era muito popular no início do século XX. Estamos falando de uma bebida semelhante ao vermute. Os vinhos quinados são amargos, isto é vinhos fortificados com álcool ou mistelas mas que têm um excesso de quina, um arbusto proveniente da América do Sul reputado por suas virtudes medicinais. Durante séculos, bebidas amargas foram feitas por religiosos e boticários, e foram usadas como medicamentos digestivos. Depois de envelhecer por pelo menos dois anos em barris de carvalho, exalem aromas de café, baunilha, canela e cítricos. Nossos avós tomaram isso como um aperitivo com gelo e refrigerante ou sozinhos. Também traz um toque especial aos coquetéis.

Fonte:Vinopack