Arquivos da categoria ‘Enoturismo’

Nove vinícolas argentinas imperdíveis pela sua arquitetura (VIII)

14 de abril de 2018

ZUC DEF

Zuccardi Valle de Uco 

O criador da nova vinícola que a Família Zuccardi possui em Paraje Altamira, Valle de Uco, foi o arquiteto Fernando Raganato. A adega é integrada ao entorno e construída com materiais locais: pedras da Finca Piedra Infinita, água e areia do rio Tunuyán. As paredes têm uma curvatura que a identifica com a Cordilheira que a enquadra. A adega tem muita luz durante o dia, o que torna possível não usar iluminação artificial.”No projeto procurou envolver-se com as formas e as ocorrências da montanha, como as encostas, córregos e carrega. O curso é concebido como uma experiência para o visitante. Após a recepção, ele convida você a visitar e participar . a partir da colheita pátio, transferência de uvas em caixas, descarregando em tanques, o envelhecimento em barris, o resto em garrafas, com uma extremidade teatral sob a cúpula como o coroando que dá sentido da unidade e da universalidade ” , descreve Raganato.
No interior, os vasos de concreto destacam-se para separar as uvas e vinificar de forma diferente. No setor de estocagem e armazenagem de garrafas há uma enorme pedra que foi encontrada quando começou a ser construída e permaneceu como símbolo do projeto.

 

The Presidential Train: Douro, história, vinho e gastronomia

10 de abril de 2018

TREM UM DEF

O trem, de cor azul e com o brasão nacional, não deixará indiferente quem passe, nas próximas semanas, na Estação de S. Bento, no Porto, de onde parte para mais uma série de 10 viagens gastronômicas ao Douro, até à emblemática Quinta do Vesúvio, uma das mais simbólicas de Dona Antónia Adelaide Ferreira (a Ferreirinha). De fato, o The Presidential Train, que entre 1910 e 1970 recebeu chefes de Estado, o Papa Paulo VI ou a Rainha Isabel II de Inglaterra, é hoje uma experiência de turismo ferroviário que acabou por ser reconhecida, em 2017, como o Melhor Evento Público do Mundo nos BEA Awards (considerados os Óscares dos Eventos). E embora estas viagens – que acontecem entre 7 de abril e 1 de maio – possam não ser acessíveis a todos (cada uma custa €500), são uma oportunidade única para viver, por dentro, este comboio que é patrimônio histórico e só deixa o Museu Nacional Ferroviário, no Entroncamento, na primavera e na época das vindimas (setembro e outubro).

TREM DOIS DEF

Tal como aconteceu na última edição do ano passado, todos os chefes de cozinha são portugueses e já não se resumem exclusivamente a estrelas Michelin, apesar de três deles terem sido premiados com essa distinção – casos de Rui Paula (cozinha nos dias 7 e 8 de abril), João Rodrigues (21-22 abr) e Henrique Sá Pessoa (30 abr-1 mai). Vasco Coelho Santos, chefe do Euskalduna Studio, no Porto, considerado “um dos novos nomes da cozinha portuguesa, com um talento invulgar”, como o define Gonçalo Castel-Branco, mentor desta iniciativa, será o responsável pela cozinha nos dias 14 e 15 abril. E, uma vez mais, o The Presidential Train volta a juntar um jovem talento a um chefe mais experiente na cozinha. Este ano, será Bruno Caseiro (restaurante Cavalariça, Comporta) a cozinhar com António Galapito (O Prado, Lisboa) nos dias 28 e 29 de abril, com a curiosidade de ambos terem passado pela cozinha do chefe Nuno Mendes, em Londres.

 

Nove vinícolas argentinas imperdíveis pela sua arquitetura (VII)

10 de abril de 2018

BCZ DEF

A Great Wine Capitals (GWC), é uma rede formada por dez cidades, nos hemisférios Norte e Sul, que partilham um patrimônio econômico e cultural fundamental: as suas regiões vinícolas reconhecidas internacionalmente. Ainda neste contexto, chama a atenção para o elo que normalmente é gerado entre a faceta artística e o complexo processo de produção de vinho e seu contexto cultural, paisagístico e arquitetônico. Nesta vasta jornada, a Great Wine Capitals destacou como pontos imperdíveis para os turistas que chegam à Argentina nove vinícolas, que associam design arquitetônico e iniciativas ambientais que combinam beleza a harmonia da paisagem. Eis as as vinícolas selecionadas:

bodega-catena-zapata

Bodega Catena Zapata

Emergindo dos vinhedos circundantes como uma miragem, o design distinto de pirâmide da  Bodega Catena Zapata foi inspirado nas ruínas de Tikal na Guatemala e é construído no estilo de um templo maia. Também localizado em Agrelo, “o prédio é impressionante e mágico com uma sensibilidade rústica”, destacam-se do GWC. Os materiais interiores combinam pedra e madeira para apresentar uma estética moderna e tradicional. As escadas diagonais e os interiores abertos contribuem para o drama e o perfil da Bodega Catena Zapata como um dos principais produtores de vinho da Argentina.

 

Nove vinícolas argentinas imperdíveis pela sua arquitetura (VI)

9 de abril de 2018

SEPTIMA DEF

A Great Wine Capitals (GWC), é uma rede formada por dez cidades, nos hemisférios Norte e Sul, que partilham um patrimônio econômico e cultural fundamental: as suas regiões vinícolas reconhecidas internacionalmente. Ainda neste contexto, chama a atenção para o elo que normalmente é gerado entre a faceta artística e o complexo processo de produção de vinho e seu contexto cultural, paisagístico e arquitetônico. Nesta vasta jornada, a Great Wine Capitals destacou como pontos imperdíveis para os turistas que chegam à Argentina nove vinícolas, que associam design arquitetônico e iniciativas ambientais que combinam beleza a harmonia da paisagem. Eis as as vinícolas selecionadas:

bodega-septima DEF

Bodega Sétima

Em meio a extensos vinhedos na planície Agrelo, a Bodega Sétima foi projetado para se integrar totalmente com a paisagem. Um antigo sistema de construção usado nos centros cerimoniais pré-colombianos da região andina, que consistia no empilhamento de pedras naturais umas sobre as outras, foi incorporado ao sistema produtivo em combinação com técnicas modernas. As linhas horizontais puras do edifício estão integradas no perfil montanhoso circundante. Para os materiais de construção de origem local foram utilizados e o concreto foi produzido usando pigmentos especiais para obter uma gama de cores de acordo com o ambiente natural.

Nove vinícolas argentinas imperdíveis pela sua arquitetura (V)

8 de abril de 2018

BS DEF UM

A Great Wine Capitals (GWC), é uma rede formada por dez cidades, nos hemisférios Norte e Sul, que partilham um patrimônio econômico e cultural fundamental: as suas regiões vinícolas reconhecidas internacionalmente. Ainda neste contexto, chama a atenção para o elo que normalmente é gerado entre a faceta artística e o complexo processo de produção de vinho e seu contexto cultural, paisagístico e arquitetônico. Nesta vasta jornada, a Great Wine Capitals destacou como pontos imperdíveis para os turistas que chegam à Argentina nove vinícolas, que associam design arquitetônico e iniciativas ambientais que combinam beleza a harmonia da paisagem. Eis as as vinícolas selecionadas:

BS DOIS DEF

Bodega Salentein.

A vinícola está localizada no Vale do Uco, a uma altitude de 1.200 metros, bem no centro dos vinhedos. Mais de 49 hectares de habitat natural do deserto foram conservados e fazem parte de sua paisagem diária. O horizonte oeste é dominado pelos Andes nevados próximos, que se elevam a mais de 6.100 metros. A vinícola  foi projetada  tendo em mente dois aspectos :com  forma e função. A forma em cruz facilita o manuseio cuidadoso das uvas e do vinho, ao mesmo tempo em que reduz o caminho percorrido pelas frutas e pelo produto ao longo dos diferentes estágios de produção.

Nove vinícolas argentinas imperdíveis pela sua arquitetura (IV)

7 de abril de 2018

MONTEVIEJO DEF

A Great Wine Capitals (GWC), é uma rede formada por dez cidades, nos hemisférios Norte e Sul, que partilham um patrimônio econômico e cultural fundamental: as suas regiões vinícolas reconhecidas internacionalmente. Ainda neste contexto, chama a atenção para o elo que normalmente é gerado entre a faceta artística e o complexo processo de produção de vinho e seu contexto cultural, paisagístico e arquitetônico. Nesta vasta jornada, a Great Wine Capitals destacou como pontos imperdíveis para os turistas que chegam à Argentina nove vinícolas, que associam design arquitetônico e iniciativas ambientais que combinam beleza a harmonia da paisagem. Eis as as vinícolas selecionadas:

MONTEVIEJO DOIS DEF

Vinícola Monteviejo

Construída em 2001, a vinícola Monteviejo apresenta uma impressionante combinação de elementos arquitetônicos clássicos e modernos. Como uma moeda grega, o vinícola tem dois lados diferentes. A fachada com vista para as montanhas incorpora um design de templo contemporâneo ladeado por colunas, extensões de vidro e grandes escadarias. O lado oposto da bodega, visto da entrada, expôe tijolos e grandes janelas. O edifício é cercado por vinhedos, que crescem em terraços cultivados em declive, chegando até o telhado. A interação do sol que atravessa as montanhas entra em cena à tarde para criar um efeito dramático de sombra e luz dentro do adega da vinícola.

Nove vinícolas argentinas que merecem uma visita pela sua arquitetura (III)

6 de abril de 2018

ADEGA TRAPICHE.DEF jpg

Adega Trapiche –

A Adega Trapiche Localizada na cidade de Maipú, a vinícola é caracterizada por seu estilo florentino, com uma fachada de tijolo italiano projetada em 1902. A vinícola, uma das maiores do país, afasta-se do estilo e dos desenhos tradicionais em outras partes do país. A região será inspirada principalmente pelos templos clássicos. Partindo dos modelos tradicionais, a adega capta uma nova maneira que lembra os palácios venezianos e outros grandes edifícios públicos. Dentro da adega combina tradição e tecnologia de ponta.

Nove vinícolas argentinas que merecem uma visita pela sua arquitetura (II)

5 de abril de 2018

FOURNIER_DEF

A Great Wine Capitals (GWC), é uma rede formada por dez cidades, nos hemisférios Norte e Sul, que partilham um patrimônio econômico e cultural fundamental: as suas regiões vinícolas reconhecidas internacionalmente. Ainda neste contexto, chama a atenção para o elo que normalmente é gerado entre a faceta artística e o complexo processo de produção de vinho e seu contexto cultural, paisagístico e arquitetônico. Nesta vasta jornada, a Great Wine Capitals destacou como pontos imperdíveis para os turistas que chegam à Argentina nove vinícolas, que associam design arquitetônico e iniciativas ambientais que combinam beleza a harmonia da paisagem. Eis as as vinícolas selecionadas:

FOURNIER DOIS DEF

Bodega O Fournier  – Futurista e moderna, a nave-mãe de todas as vinícolas do vale de Uco oferece aos visitantes um encontro próximo com o vinho e os arredores. “O design lírico da Bodega O. Fournier”, afirma a Great Wine Capitals, “está em perfeita harmonia com a terra.” Na luz suave da manhã ou com o brilho dourado do crepúsculo, a adega aparece como se estivesse flutuando. De longe, a entrada aberta em meio círculo é como um par de braços que se estende para abraçar as vinhas. Além de ter um design moderno e futurista, a vinícola foi projetada para ser funcional, usando um sistema de gravidade para a produção mais natural dos vinhos.

Nove vinícolas argentinas que merecem uma visita pela sua arquitetura (I)

4 de abril de 2018

DIAMÂNDES-DEF DEF

A Great Wine Capitals (GWC), é uma rede formada por dez cidades, nos hemisférios Norte e Sul, que partilham um patrimônio econômico e cultural fundamental: as suas regiões vinícolas reconhecidas internacionalmente. Ainda neste contexto, chama a atenção para o elo que normalmente é gerado entre a faceta artística e o complexo processo de produção de vinho e seu contexto cultural, paisagístico e arquitetônico. Nesta vasta jornada, a Great Wine Capitals destacou como pontos imperdíveis para os turistas que chegam à Argentina nove vinícolas, que associam design arquitetônico e iniciativas ambientais que combinam beleza a harmonia da paisagem. Eis as as vinícolas selecionadas:

BD DOIS DEF

Bodega Diamandes – A Great Wine Capitals considerou o estabelecimento projetado pelos arquitetos mendocino Mario Yanzón e Eliana Bórmida na região de Tunuyán, ao lado da Cordilheira dos Andes, como “elegante e sóbrio”. Destaca o respeito pela natureza e uma forte ligação entre o vinho como elemento e natureza. Assim, a arquitetura é integrada à paisagem andina através da criação de estradas e projetos únicos. A escala, a forma e os materiais utilizados na criação da estrutura foram cuidadosamente adaptados ao local em relação à cadeia montanhosa e à flora nativa da região. Os espaços interiores incluem uma cave circular.

“Italian Wine – Taste the Passion”: uma campanha que associa o vinho ao estilo de vida italiano

31 de março de 2018

ITALIAN DEF

Italian Wine – Taste the Passion (Vinho Italiano – Prove a Paixão), é a primeira campanha institucional de vinhos italiana assinada pela Ice Agency, e destinada principalmente aos EUA e a China. A campanha terá lugar em 2018 em dois períodos: maio-julho, setembro-dezembro, nos Estados Unidos, antes de se mudar para a China. A campanha tem como objetivo firmar um posicionamento exclusivo e aspiracional dos vinhos italianos. O vinho Made in Italy está associado a experiências de alto conteúdo simbólico, ligadas a contextos culturais e territoriais, estilo de vida expressivo de excelência e singularidade italiana, elementos do estilo de vida italiano amado em todo o mundo. Veja o vídeo: