15 de junho de 2024
Notícias

Em Nota oficial, presidente da FNF diz que vai buscar o diálogo para solucionar questão do JL

Com prazo estipulado de 60 dias para desocupar o imóvel e devolver para o governo estadual, o presidente da Federação Norte-riograndense de Futebol (FNF), José Vanildo, indica que não vai partir para queda de braços com a Procuradoria-Geral do Estado, que está requerendo a devolução do imóvel, tombado pelo Patrimônio Histórico do RN, para construir uma praça e devolver ao uso da sociedade.

A procuradora Marjorie Madruga afirmou que a causa que por ter sido uma decisão em primeira instância, a FNF ainda tem o direito de recorrer para tentar permanecer no local, porém, ela destaca que a causa é muito segura para o lado do governo e estima que a FNF teria pouca chance de alterar a ordem atual. A degradação do imóvel, ocupado a quase cem anos pela entidade esportiva, foi um dos motivos pelo qual a procuradoria decidiu ingressar com a ação de reintegração de posse do Juvenal Lamartine.

A procuradoria ainda não decidiu se vai ou não mover outro tipo de ação, responsabilizando a FNF pelos danos causados ao imóvel, que por ter sido decretado como peça do Patrimônio Histórico não poderia estar no estado de abandono no qual se encontra hoje. Marjorie Madruga salientou ainda que houve uma alteração na fachada original do antigo estádio, para construção de algumas lojas no local, fato que fere a lei, bem como ocorreu a destruição de toda arquibancada de madeira, que também teria de ser preservada.

Veja a íntegra da Nota Oficial expedida pela Federação Norte-riograndense de Futebol sobre o caso:

A Federação Norte-rio-grandense de Futebol (FNF) vem à publico afirmar que respeita decisão da PGE (Procuradoria Geral do Estado) ao solicitar a utilização do estádio Juvenal Lamartine, um patrimônio histórico e cultural do Rio Grande do Norte. A FNF acredita que a solução seja o diálogo com o Governo do Estado, com o governador Robinson Faria, evitando o acirramento na judicialização.
 
Nosso desejo é do entendimento, para manter viva a história do futebol potiguar, assegurando as atividades com o esporte amador e até oficiais, profissionais com treinamentos, e o projeto social para a Escola do Futebol que será lançada em outubro com jogadores da Seleção Brasileira.
 
A FNF respeita a decisão judicial, mas ainda busca o entendimento ao defender o torcedor e o futebol norte-rio-grandense, a sua história.
 
Atenciosamente,
José Vanildo da Silva
Presidente da FNF

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *