12 de junho de 2024
Sem categoria

Diretor da OMT diz que turismo internacional crescerá 6% em 2010

A perspectiva de crescimento do turismo internacional, atividade que corresponde a 38% da balança de serviços do mundo, é de 6% para 2010. A análise é do diretor da Organização Mundial de Turismo (OMT), Márcio Favilla, que fez palestra hoje pela manhã no Festival de Turismo de Gramado. 
 
Favilla mostrou, com informações do Barômetro do Turismo da OMT, que o setor iniciou uma trajetória de recuperação das perdas acumuladas em 2009, auge da crise econômica internacional.
Segundo ele, de janeiro a agosto as chegadas internacionais cresceram 7% em relação ao mesmo período do ano passado.  Ele explica, no entanto, que ainda não se pode falar em resultados importantes como os de 2008, “um ano excelente para o turismo”, como definiu.
 
Os ganhos mais expressivos em termos de chegadas de turistas internacionais foram registrados, segundo ele, nos países em desenvolvimento. 
“A única região do mundo a ter um desempenho positivo foi a África. A África do Sul já está acima do recorde de 2008”, exemplificou o diretor da OMT. A Ásia e o Oriente Médio devem crescer 12% neste ano , superando a marca mundial”, ressaltou.
Márcio Favilla,  que já foi secretário executivo do Ministério do Turismo, destacou que o Brasil, que tem 75% do seu PIB do turismo calcado no mercado interno, foi pouco impactado pela crise mundial.

One thought on “Diretor da OMT diz que turismo internacional crescerá 6% em 2010

  • mariano mdeiros

    Cao Antonio Roberto, permita-me um breve comentário em referêcia “Oito anos sem avanços”.
    É uma triste e real constatação. O pior, você também informa que executivo da OMT admite crescimento de 6%.
    Agora, efetivamente o cenário para os destinos do turismo de Natal e do Rio Grande do Norte, são absolutamente sombrios.
    Uma reflexão é necessária. Qual é o setor de maior expansão hoje no mundo, no globo terrestre? Inquestionavelmente a indústria do turismo de lazer, no sentido amplo, é a que mais se expande no mundo.
    Portanto, a indústria do lazer, a indústria do turismo passa a ser a grande meta.Para que? Todos nós sabemos.
    É preciso ter pessoas nos balcões do planejamento e da expansão do turismo do Rio Grande do norte. E, hoje, a possibilidade de crescimento é real. Todavia, estamos chegando ao limite da irresponsabilidade, sem nenhuma preocupação e sem planejamento na Economia do Turismo.
    Porém, entristece saber que pior, só mesmo o silêncio ensurdecedor das entidades do TRADE do RGN.
    Acredito meu Caro Antonio Roberto, ser o momento ideal para sua coluna de turismo e a Tribuna do Norte, promoverem um grande debate sobre as reais perspectivas de crescimento do turismo do RGN.
    Obrigado pelo espaço!

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *