26 de fevereiro de 2024
Sem categoria

Idema e Dromedunas se reunirão na próxima segunda, mas acordo está difícil

O diretor geral do Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (Idema), Marcelo Toscano, estará reunido na próxima segunda-feira (15), às 9h, na sede do órgão, com a sócia da empresa Dromedunas, Cleide Batista.
Na oportunidade será tratada a questão do estábulo dos dromedários de Jenipabu. A reunião também contará com a presença do secretário adjunto de Turismo, Luiz Eduardo Bulhões.
De acordo com comunicado oficial do Idema, o processo do estábulo dos dromedários é da Superintendência do Patrimônio da União (SPU). A empresa Dromedunas solicitou o uso e ocupação da área do galpão onde permanecem os animais.
Diz ainda o comunicado que o Idema foi convocado pela SPU a se posicionar ambientalmente sobre o espaço ocupado. O informe técnico do órgão foi de que a área é de mangue e que possui características ambientais de alta vulnerabilidade.
O parecer técnico do Idema argumenta que o estábulo está em Área de Proteção Permanente (APP). De acordo com o Zoneamento Ecológico-Econômico da Área de Proteção Ambiental Jenipabu (APAJ), nos municípios de Extremoz e Natal, a área em questão é Zona de Conservação I (ZCI) e abrange a Área Especial de Planície Flúvio-Marinha (AEP).
O informe técnico do Idema concluiu que, considerando as informações constantes na documentação encaminhada pela SPU, a vistoria realizada no estábulo e a legislação ambiental específica, “é necessário manter restrição quanto à ocupação da referida área”.
Parecer  semelhante foi dado pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) atendendo também solicitação da SPU.

One thought on “Idema e Dromedunas se reunirão na próxima segunda, mas acordo está difícil

  • William

    É um absurdo essa elevada preocupação dos institutos de proteção ambiental com os animais, que inclusive é ponto turistico de Natal. Vários são os casos de agressão ao meio ambiente e passa despercebido aos olhos dos instituntos fiscalizadores. Exemplo é o tráfego de veiculos nas areias das praias e dunas que não só agridem o meio ambiente como também colocam em perigo a integridade dos banhistas, e ninguem faz nada pra impedir.

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *