26 de fevereiro de 2024
Sem categoria

Veja matéria exclusiva com Mário Carvalho, diretor da Tap para a América do Sul

Tap está gerando cada vez mais tráfego do Nordeste para a Europa

A Tap estaria mudando seu perfil no Nordeste, região que representa um terço do mercado da companhia no Brasil? A empresa gera mais tráfego, atualmente, do Nordeste para a Europa do que de lá para cá?
As dúvidas são pertinentes, mas o diretor da Tap para Brasil e América Latina, Mário Carvalho, diz que não se trata propriamente de “mudança de perfil ou tendência”, mas há realmente um nítido crescimento no fluxo emissivo para a Europa a partir do Nordeste.
“Até dois anos atrás, para a Tap, a participação das cidades do Nordeste como emissoras para a Europa era de 15 a 20% do fluxo. Hoje já representa o dobro deste patamar. Obviamente, na outra ponta, houve queda proporcional, o que gerou uma aproximação natural nos números. Ou seja: o fluxo da Europa para o Nordeste passou a ser de 60%, ao invés dos 80% registrados por vários anos seguidos”, comenta.
Carvalho faz um alerta: “É preciso colocar isso de forma bem clara, pois estou falando em termos de proporcionalidade. Os números da Europa para o Nordeste não caíram em valores absolutos, mas sim em margem relativa. A fatia, em relação ao tráfego atualmente gerado nas quatro cidades que atendemos no Nordeste, obviamente diminuiu, já que daqui para lá vem aumentando bastante”, faz questão de ressaltar.
Os fatores deste aumento nas emissões a partir do Nordeste são óbvios, segundo o diretor da Tap. “Questão de câmbio e da economia forte aqui no Brasil. Aquele turista que ia no máximo para a Serra Gaúcha agora vai para Portugal”, analisa.
Das quatro cidades que a Tap atende no Brasil, Fortaleza, segundo Mário Carvalho, tem o melhor load factor: 82%. Ainda de acordo com o diretor, e pela ordem, vêm Recife (81%), Salvador (76%) e Natal (73%). Os números, diz ele, se referem ao período de janeiro a agosto deste ano.
Carvalho diz ainda que Portugal está em segundo lugar no fluxo da Tap para o Nordeste, seguido pela Itália, França e Espanha. E o primeiro colocado? “São os outros”, diz ele. Entenda-se por “outros” o Leste Europeu e a Escandinávia, juntos, que tradicionalmente geram bom e regular fluxo de visitantes para o Nordeste.
O diretor da Tap descarta qualquer aumento nas frequências de Lisboa para o Nordeste, embora possa haver voos extras na alta estação, que para a companhia aérea portuguesa vai de 12 de dezembro a 21 de janeiro.
“Natal, a única cidade do Nordeste que só tem quatro frequências semanais, sempre indaga sobre voos diários, mas não se promove adequadamente na Europa, para que possa haver aumento da demanda”, reclama.
Mário Carvalho insiste que é preciso o Nordeste se promover na Europa para o público final, através de mídia em supermercado, shopping-center, ônibus, trem ou outras vitrines alternativas.
“Tem que se mostrar. Contanto que a mídia seja voltada para o consumidor final. Os operadores e agentes de viagem, de um modo geral, já conhecem bem o produto Nordeste, sabem de sua viabilidade turística, pois já foram realizados muitos workshops do Nordeste dos principais centros emissores europeus. O turista em potencial, porém. precisa ser despertado”, enfatiza.
O diretor da Tap lembra ainda que os principais concorrentes do Nordeste na Europa estão se promovendo e divulgando cada vez mais, como alguns países do Caribe e as praias da Tailândia.
“Vale lembrar que os preços praticados nestes mercados são bem mais em conta do que no Nordeste. Por aqui às vezes cobra-se como um cinco estrelas lá fora, mas o padrão é de um hotel três estrelas”, alerta.

One thought on “Veja matéria exclusiva com Mário Carvalho, diretor da Tap para a América do Sul

  • Gilberto Sander Muller

    Antonio Roberto:
    O Sr. Mario Roberto esqueceu do vôo direto que a TAP tem para Porto Alegre?
    Um abraço,

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *