Nota Pública sobre nomeações na Fundação José Augusto: 

A Associação dos Produtores Culturais e Artísticos – APCA/RN vem a público externar sua preocupação com as exonerações e nomeações publicadas no Diário Oficial do Estado do Rio Grande do Norte nesta quinta-feira, dia 21 de abril de 2016, referente, em especial, a cargos na Fundação José Augusto (FJA), órgão que representa as políticas públicas na área cultural do Estado. 

Em virtude disto, solicitamos prudência e cautela por parte do governador Robinson Faria ao fazer nomeações para setores importantes no âmbito cultural, na melhor das hipóteses, que tome conhecimento dos anseios e problemáticas enfrentadas por aqueles que fazem o setor girar no Estado, em especial na capital. 

Nós, produtores e agentes de cultura, com forte atuação e representatividade em projetos em andamento atualmente no Estado, temos a preocupação, e com isto sugerimos, que os próximos representantes nomeados tenham o mínimo conhecimento sobre o Plano Estadual de Cultural, sobre a Lei Câmara Cascudo e o Fundo Estadual de Cultura. Que assumam seus cargos engajados e cientes da gravidade que a FJA passa neste momento, com equipamentos culturais importantes fechados, em especial o Teatro Alberto Maranhão, Teatro Adjuto Dias, Teatro Lauro Monte Filho, a Biblioteca Câmara Cascudo, o Centro Experimental de Formação e Pesquisa Teatral, Casas de Cultura e tantos outros espaços espalhados pelo Estado.

Em geral, a APCA/RN torna público nesta nota sua preocupação especial no que diz respeito aos projetos em andamento dos seus associados, todos em tramitação na Lei Câmara Cascudo, grande parte com realização prevista para o ano corrente, e a necessidade de termos nos próximos dias uma nomeação que dê prosseguimento aos trabalhos nesta esfera sem onerar ou prejudicar diretamente o bom andamento dos processos em curso.

Por fim, nos colocamos à disposição para manter um diálogo permanente com as instituições públicas, em especial o Governo do Estado do Rio Grande do Norte, cumprindo, desta forma, o papel de fiscalizar as ações que representam a classe artística e cultural do Estado.

Assinam os produtores associados:

Amaury Júnior

Cláudio Machado

Paulinelle Castro

Jarbas Filho

Daniel Campos

Jomardo Jomas

Willian Collier

Marcelo Veni

Edson Soares

Pipo Damásio

Marcilio Amorim

José Neto Barbosa

Gabriel Brandão

Joahb Madruga

Heitor Almeida

Ronaldo Negromonte