Uma reportagem do jornal inglês The guardian (em inglês) informou nesta sexta-feira (25/12) que a empresa de fármacos AstraZeneca, em parceria com a Universidade de Londres, estuda uma nova droga que pode prevenir os sintomas de uma infecção por covid-19. O registro para os testes nos Estados Unidos já foi realizado pela empresa.

Importante lembrar que a empresa já trabalha, em parceria com a Universidade de Oxford, no projeto de uma vacina contra a covid-19.

Na teoria, o remédio — chamado de AZD7448 — seria capaz de impedir que uma pessoa venha a ter os sintomas de uma infecção de covid-19 por até 12 meses, desde que tenha tomado o medicamento após até, no máximo, oito dias após a exposição ao vírus.

Diferente da resposta de anticorpos naturais produzidos pela vacina, a expectativa é que o remédio cause uma “imunidade instantânea” contra os sintomas da infecção da covid-19 por ter anticorpos criados em laboratório. O medicamento seria usado em tratamentos emergenciais, como para profissionais de saúde, e usuários e empregados de asilos, por exemplo.

Os testes, até o momento, foram feitos em Londres e outras 100 localidades mundo afora. Nas terras da Rainha, o medicamento tem sido aplicado em coquetéis de duas doses nos voluntários e participantes dos testes.

A expectativa da AstraZeneca é de que, caso as agências reguladoras do país liberem, a droga já possa estar disponível para produção até abril de 2021.

Fonte: Correio Braziliense

Os comentários estão fechados.